Comissão da Verdade organiza evento que relembra ditadura militar

Programação se estenderá até a próxima quinta-feira, com vigília em frente à Casa da Morte, em Petrópolis

Por O Dia

Rio - Petrópolis dá continuidade nesta segunda-feira à programação dedicada a relembrar a época da ditadura militar, que se encerra na quinta-feira. A Semana pela Memória, Verdade e Justiça, promovida pela Comissão Municipal da Verdade, em conjunto com a Prefeitura, a sociedade civil e entidades parceiras, foi aberta pelo prefeito Rubens Bomtempo no dia 1º, com uma vigília, logo depois de dar posse aos membros da comissão.

A programação, que irá rememorar o Golpe Militar de 1º de abril de 1964, as torturas e os assassinatos cometidos no período, especialmente em Petrópolis, na Casa da Morte, se estenderá até o dia 7. Além da vigília em frente à Casa da Morte, realizada no dia 1º, também há exposições, exibição de filmes, teatro e música.

Haverá, ainda, lançamento do livro “Um homem torturado: nos passos de Frei Tito de Alencar”, com a participação do cientista político e membro do Instituto de Estudos da Religião (ISER), Ivo Lesbaupin.

Evento relembra ditadura militarDivulgação

Criada pelo Decreto Municipal nº 893, de 11 de dezembro de 2015, a Comissão Municipal da Verdade é formada por cinco pessoas - Eduardo Navarro Stotz, Maria Helena Arrochellas, Rafane Valoura Paixão, Roberto Carlos Schiffler Neto e João Fabre dos Reis, que atuarão no sentido de examinar e esclarecer as violações de direitos humanos praticadas pela ditadura militar, contribuindo, assim, para a efetivação do direito à memória e à verdade histórica.

A comissão vai procurar esclarecer prisões, mortes, desaparecimentos e contribuir para a desapropriação do imóvel que sediou a Casa da Morte, que funcionou no Caxambu no início dos anos 70.

“A Semana pela Memória, Verdade e Justiça representa um novo passo que damos na nossa cidade em relação ao conhecimento da nossa própria história. Será uma oportunidade de aprendermos mais sobre esse período recente da história que tanto afetou o nosso país e também Petrópolis. É uma semana de eventos que, acima de tudo, valorizam a democracia e os direitos humanos”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

Integrante da Comissão Municipal da Verdade, Eduardo Stotz, também destacou a importância do evento. “É uma oportunidade para a cidade se debruçar sobre o seu próprio passado. As coisas que aconteceram no país também aconteceram aqui. Não foi só a Casa da Morte, foram também centenas de prisões, golpes contra o movimento sindical e também contra vereadores do PSB”, disse Stotz.

Confira a programação 

Hoje

- Atividades nas escolas

À tarde – Exposição “A tortura no regime militar: denúncia e profetismo de Alceu Amoroso Lima” (Centro Alceu Amoroso Lima para a Liberdade, na Mosela)

À tarde – Exposição “Petrópolis: Ditadura e Resistência” (Centro de Cultura Raul de Leoni)

19h – Lançamento do livro “Um homem torturado: nos passos de Frei Tito de Alencar”, com a participação de Ivo Lesbaupin, do ISER (Cefet-Petrópolis)


Terça-feira

Manhã e/ou tarde – Atividades nas escolas

À tarde – Exposição “A tortura no regime militar: denúncia e profetismo de Alceu Amoroso Lima” (Centro Alceu Amoroso Lima para a Liberdade, na Mosela)

À tarde – Exposição “Petrópolis: Ditadura e Resistência” (Centro de Cultura Raul de Leoni)

16h – Revogação do projeto de cassação dos vereadores do PSB de 3 de maio de 1964 (Câmara Municipal)

19h – Exibição do filme “O dia que durou 21 anos”. Em seguida, debate com: Maurício Vicente, da UCP; Ricardo Figueiredo de Castro, da UFRJ; e Eduardo Stotz, presidente da Comissão Municipal Petrópolis. (Museu Imperial)


Quarta-feira

Manhã e/ou tarde – Atividades nas escolas

À tarde – Exposição “A tortura no regime militar: denúncia e profetismo de Alceu Amoroso Lima” (Centro Alceu Amoroso Lima para a Liberdade, na Mosela)

À tarde – Exposição “Petrópolis: Ditadura e Resistência” (Centro de Cultura Raul de Leoni)

18h – Quarta Cultural no Palácio Itaboraí: depoimentos dos familiares das vítimas da Ditadura. Convidado: Procurador Geral do Município, Marcus Vinícius de São Thiago


Quinta-feira

Manhã e/ou tarde – Atividades nas escolas

À tarde – Exposição “A tortura no regime militar: denúncia e profetismo de Alceu Amoroso Lima” (Centro Alceu Amoroso Lima para a Liberdade, na Mosela)

À tarde – Exposição “Petrópolis: Ditadura e Resistência” (Centro de Cultura Raul de Leoni)
17h – Encerramento da Semana pela Memória, Verdade e Justiça em Petrópolis: Coral  Nheengarecoporanga (CDDH); reapresentação da peça “O trombone e o fuzil”; grupo musical com músicas que marcaram a Ditadura – História de Samba; e leitura de carta aberta dos promotores da Semana solicitando à Secretaria de Direitos Humanos da Presidência o processo de desapropriação da Casa da Morte. (Praça da Liberdade). 

Últimas de Rio De Janeiro