STJ autoriza inquérito sobre relação de Pezão com a Odebrecht

MPF aponta uso de recursos indevidos na campanha

Por O Dia

Pezão e sua equipe aguardam outra parte do dinheiro em 60 dias, mas trabalham para chegar antes
Pezão e sua equipe aguardam outra parte do dinheiro em 60 dias, mas trabalham para chegar antes - Estefan Radovicz / Agência O Dia

O ministro Luis Felipe Salomão, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), autorizou a abertura de inquérito para investigar a relação do governador Luiz Fernando Pezão com a construtora Odebrecht. A instauração foi requerida pelo Ministério Público Federal (MPF) após depoimentos dos executivos da construtora em acordo de delação premiada.

No acordo firmado com a Procuradoria-Geral da República (PGR), o ex-executivo da Odebrecht Benedicto Barbosa Júnior, o BJ, disse que o ex-governador Sérgio Cabral negociou com a empreiteira mais de R$ 20 milhões, via caixa dois, para a campanha de Pezão ao governo em 2014. De acordo com BJ, o montante faz parte do total de R$ 120 milhões que a empresa teria repassado ilegalmente a Cabral e a Pezão desde 2006.

Em sua decisão, o ministro destacou que o MPF aponta, em tese, "a existência de fundamentos suficientes para a prática de conduta típica", sendo necessária a investigação do caso.

O governo informou que Pezão "reafirma mais uma vez que nunca recebeu recursos ilícitos e jamais teve conta no exterior". O texto ressalta que as doações foram legais.

Comentários