Arte mostra que o Natal não tem cor

Artista carioca cria obra com Menino Jesus negro e espalha por muros. Busca reflexão

Por WILSON AQUINO

A representação da Virgem com o menino Jesus no colo é um tema clássico na arte sacra cristã. Retratada em pinturas e esculturas seculares, a cena, tradicionalmente, traz a Madona (representação de Nossa Senhora) acalentando um menino branco. Um artista carioca decidiu remodelar a arte e colar sua nova concepção nas ruas. Uma imagem da Mãe de Deus com bebê negro nos braços decora várias muros. A obra do artista Alberto Pereira, 28 anos, ao alterar o símbolo, busca reflexão sobre essa época do ano. "É um momento de união e comunhão, quando todos desejam coisas boas para todos. É a época do afeto. Pena que as pessoas sejam afetuosas com as outras só em dezembro, depois esquecem", lamenta Pereira.

Formado em Design e Publicidade, pela PUC do Rio e Senai, ele se encontrou como artista ao desenvolver as técnicas de colagem. Faz novas leituras sobre imagens consagradas. E as expõe nas ruas em cartazes. "Pego dois elementos que nada têm a ver e transformo em um novo", explica. Foi assim que ele fez com a clássica imagem da Virgem e o menino. "Quem disse que Jesus era branco, de olhos verdes e cabelos castanhos claro ondulados? A intenção é questionar, independente de religião. E uma luta pela igualdade racial. Chamo de 'Jesus Pretinho'".

Para Alberto Pereira, que manteve a Madona branca, a cor é o que deveria ser menos importante. "Não existe diferença. É um filho para ela". As reações na rua são diversas, e ele gosta assim. "Espero que cada um sinta a imagem e tire sua conclusão. Afinal, já que está na rua, não é mais meu", afirma ele, para quem Natal não tem cor. Natal tem brilho.

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro