Yane Marques, do pentatlo moderno

Bronze em Londres, pernambucana é exemplo de resistência

Por O Dia

Yane Marques%2C pentatlo modernoAgência Petrobras

De Afogados da Ingazeira, no sertão pernambucano, o Brasil ganhou uma atleta de muita resistência, garra e múltiplas habilidades. Fã do ex-tenista Gustavo Kuerten, Yane Marques tem na natação o seu ponto forte, mas aprendeu a ser competitiva em todas as modalidades do pentatlo moderno. Num mesmo dia de competição, ela encara provas de natação, esgrima e hipismo e, numa segunda etapa, ainda disputa um evento combinado de corrida e tiro esportivo.

As disputas são desgastantes, mas Yane tem se saído muito bem, com projeção internacional. Na última edição dos Jogos, em Londres (2012), ela conquistou o bronze e se tornou a única medalhista olímpica do pentatlo moderno no Hemisfério Sul. Yane começou na natação, no Clube Náutico, em Recife. Hoje, aos 32 anos, ela segue brilhando e dando trabalho para as adversárias.

Em julho de 2015, ela garantiu o bronze no Campeonato Mundial de Pentatlo Moderno, a competição mais importante da modalidade na temporada, em Berlim, na Alemanha. Foi a segunda vez que ela subiu ao pódio na história do torneio, já que havia sido prata em 2013.

O resultado garantiu a brasileira na Olimpíada do Rio, com direito a mais um feito: Yane se tornou ainda a primeira pentatleta brasileira a obter uma vaga nos Jogos Olímpicos sem depender da classificação através dos Jogos Pan-Americanos. Será a sua terceira Olimpíada consecutiva, dessa vez em casa, com a torcida brasileira e a expectativa de mais um grande desempenho.