Vasco com os nervos à flor da pele

Equipe lidera ranking de cartões amarelos no Brasileiro com 15

Por O Dia

Rio - Não é só a falta de pontaria que tem impedido o Vasco de conquistar a primeira vitória no Campeonato Brasileiro. Tem faltado, principalmente, equilíbrio emocional aos jogadores, que parecem andar com os nervos a flor da pele, depois da conquista do Estadual. Só assim para explicar o fato de o time ter levado 15 cartões amarelos em três rodadas do torneio nacional. Doze só nos dois últimos jogos, contra Figueirense e Internacional, média de seis por partida. Números tão impressionantes que já colocam o Vasco como líder no ranking de cartões amarelos no Brasileiro.

Vasco vive momento de tensãoAndré Mourão

Para quem acha que há exagero na preocupação, pelo fato de o torneio estar apenas no começo, não custa lembrar que o atacante Dagoberto, por exemplo, já está fora do jogo contra o Atlético-MG, domingo, porque terá que cumprir suspensão automática. O caso do atacante chama mais atenção devido aos motivos das infrações. Foram dois cartões por reclamação do árbitro e um por colocar a mão na bola.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Vasco

Outros três jogadores também precisam redobrar a atenção. Serginho, Guiñazu e Gilberto estão pendurados com dois e se mantiverem a média podem ficar fora do jogo contra a Ponte Preta , dia 3 de junho, em São Januário.

Como a fase não é boa, desfalques só vão atrapalhar ainda mais o trabalho do técnico Doriva. Em 15ºlugar no Brasileiro com apenas três pontos em três jogos e aproveitamento de 33% dos pontos, a equipe ainda não engrenou na competição. Se a defesa continua sendo um paredão— levou apenas um gol em três jogos e é a terceira melhor da competição— o ataque está longe de agradar. Fez um gol, marcado por um volante, Lucas, e deu muitos passes errados. Foram 133 em três jogos, média de 44 por jogo. Número tão alto que já coloca o
Vasco em primeiro lugar no ranking de passes errados do Brasileiro. Ainda bem que o time não terá jogos na semana. Doriva vai precisar de todo tempo do mundo para acalmar os nervos e ajudar os jogadores a colocarem o pé na forma.