Carioca que sair da linha terá de pagar

Guarda Municipal aposta na aplicação de multas para fazer valer as leis que não pegam na cidade

Por O Dia

A Guarda Municipal quer agora fazer valer as leis que ainda não pegaram no Rio, além de combater os pequenos delitos para ajudar na redução da violência. Para atingir a nova meta, vai mirar o bolso do carioca que não andar na linha, aplicando multas. Neste mês, a ofensiva começa contra os barulhentos.

Quarenta agentes foram treinados para coibir quem não respeita o limite de 70 decibéis de ruídos. A punição fica em R$ 500 para a pessoa física e R$ 5 mil para jurídica, que ainda pode não conseguir renovar o alvará se virar 'freguesa' da infração. As queixas contra o excesso de barulho são responsáveis por 700 das 20 mil ligações que a Central 190 da Polícia Militar recebe, por dia, só na Região Metropolitana.

Mas as ações não vão parar por aí. A Secretaria de Ordem Pública (Seop) estuda em conjunto com a Procuradoria do Município incluir multas nas leis que tratam da proibição de animais domésticos nas areias das praias e os chamados altinhos o bate bola perto da água afinal é proibida a atividade esportiva junto ao mar das 8h às 16h. Isso, porém, depende do aval da Câmara dos Vereadores.

O silêncio tem que reinar das 22h às 6h em toda a cidade. A Zona Oeste bate o recorde de chamados em 2017, com base em dados da PM. Copacabana fica em quarto lugar. A Guarda vai anunciar ainda um telefone para receber essas reclamações. Os agentes vão conferir as denúncias de moto e armados com os decibelímetros. Se houver necessidade, policiais militares serão acionados. "É a infração que mobiliza o maior número de radiopatrulhas da PM. A perturbação do sossego alheio é uma contravenção penal que tem pena de 15 dias a três meses de prisão ou multa. Entretanto, pelas dificuldades de formalizar na delegacia, os infratores, em regra, ficam impunes", argumenta o secretário municipal de Ordem Pública, Paulo Amendola.

O respeito à lei, segundo Amendola, é o objetivo, mas há preocupações com a transformação das infrações em indústria das multas e com a preservação dos locais de lazer. "Tudo tem que ter uma regulamentação, mas não pode simplesmente acabar o lazer, porque é cultural do Rio, daquela área ali, atrai turismo e movimenta a economia", afirmou Alexandre Cantarelli, de 25 anos, frequentador dos bares próximos a praça Varnhagen, na Tijuca. Amendola rechaça a ideia de que as novas ações vão resultar em uma indústria da multa. "Este comentário pode ser maliciosamente gerado, no entanto, por aqueles avessos ao cumprimento dos seus deveres. É bom frisar que a hipótese da 'indústria das multas' só será possível se os infratores quiserem", analisou.

O secretário anunciou também que vai coibir com mais rigor as infrações de trânsito, como avanço de sinal, estacionamento em calçadas e em vagas para idosos ou portadores de deficiência.

algo mais

TULIN

"Suscipit risus. In urna nulla, scelerisque nec, ullamcorper eu, fringilla sit amet, magna. Fusce quam nulla, iaculis In adipiscing tortor id nibh. Nulla tincidunt cus bulum antincidunt rhoncus bulum ante.

TULIN

"Suscipit risus. In urna nulla, scelerisque nec, ullamcorper eu, fringilla sit amet, magna. Fusce quam nulla, iaculis In adipisantincidunt rhoncus bulum ante.

TULIN

"Suscipit risus. In urna nulla, scelerisque nec, ullamcorper eu, fringilla sit amet, magna. Fusce quam nulla, iaculis In ai jpotjaepoitj aepoit japoe jtopaiej topiaej topiaj etoij aeoiptj aepoij topiae jtopiaj etpoajAxim venda peles si volorerrum volendit ipitam reptatur sandae comnis non et licit voluta non nobis des sequis aiej rpaoeirjapoiej ramodigenda illuptate dipis mil ilit est e

TULIN

"Suscipit risus. In urna nulla, scelerisque nec, ullamcorper eu, fringilla sit amet, magna. Fusce quam nulla, iaculis In ai jpotjaepoa sit amet, magna. Fusce quam nulla, iaculis In ai jpotjaepoitj aepoit japoe jtopaiej topiaej topiaj etoij aeoiptj aepoij topiae jtopiaj etpoajAxim venda peles si

Mais de 2 mil abordagens

Muitos donos de cães defendem a presença dos peludos nas areias, sem dar bola para a lei que proíbe, mas não prevê multa. De janeiro a 12 de setembro deste ano, guardas municipais do Grupamento Especial de Praia (GEP) fizeram 2.102 abordagens a banhistas com cães, uma média de oito por dia.

"Fere o direito de ir e vir nosso, extenso aos animais. Meu cachorro é vacinado, coleto as necessidades dele. As pessoas jogam lixo e restos de comida, e o problema são os animais?", protestou a psicóloga Maria Lúcia, 53 anos, que estava ontem na Praia Vermelha, na Urca. O cão não vermifugado pode defecar na areia e disseminar o bicho geográfico, entre outras doenças.

O desrespeito à lei para a Guarda gera violência. Em 10 de julho, Demétrio, do GEP, foi esfaqueado nas costas por dono de cão que se recusou a tirar o animal da areia da praia da Barra. "Os cães e outros animais domésticos são queridos pelos seus proprietários, mas as regras precisam ser respeitadas", defendeu Wanderson Sermud, comandante do GEP na Zona Oeste.

Exemplo em Laranjeiras

O choque de ordem, desde março, na Praça São Salvador, em Laranjeiras, gerou polêmica, mas hoje moradores reconhecem benefícios no combate ao barulho e à desordem. "Melhorou, agora consigo ficar confortável na minha casa após às 22h" contou José Flávio, 37 anos.

O engenheiro Caio Pereira, 40 anos, reclamou que a praça permanece em ordem somente quando está vigiada pela Guarda. "Quando não tem ninguém da prefeitura aqui a barulheira volta. O trabalho de monitoramento aqui precisa ser consistente", alertou.

Uma moradora, que preferiu não se identificar, reconhece que a lei do silêncio é respeitada porque a música para às 22h, mas o barulho continua por causa da grande concentração de pessoas. "Quem mora aqui tem que aceitar isso, não tem jeito", afirmou.

Operação Verão começa com 381 guardas e 800 PMs

No primeiro domingo de atuação, a Operação Verão contou com um efetivo de 800 PMs e 381 agentes da Guarda Municipal. Pelo menos seis suspeitos de furto foram levados para a 14ª DP (Leblon) pelos agentes da GM ontem, acabaram liberados. No sábado, dois acusados de furto de celulares foram presos na Barra. A operação ocorre da Praia do Flamengo, na Zona Sul, até o Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste, e conta com o apoio as secretarias municipais de Assistência Social e Direitos Humanos e de Transportes.

Hoje, porém, o tempo promete fechar. Segundo o Sistema Alerta Rio a previsão é de predomínio de céu nublado com pancadas de chuva isoladas a partir da noite, com ventos moderados e temperatura máxima de 34 graus Celsius.

Ontem, o dia bonito convidou os cariocas a saírem para aproveitar as praias. A secretária Roseli Ribeiro, 38 anos, aproveitou para passear pela orla de Ipanema. "Foi ótimo o sol ter aparecido. Achei que fosse ficar em casa o fim de semana."

Galeria de Fotos

A psicóloga Maria Lúcia passeou com o cão na Praia Vermelha Sandro Vox
Clima Tempo. Turistas aproveitam o domingo ensolarado para ir a praia do Arpoador na Zona Sul do Rio. Guardas municipais no calçadão da praia do Arpoador. Sandro Vox / Agência O Dia
A Fiscalização da poluição sonora no Rio vai sair dos "braços" da Polícia Militar e passará a ser atribuição da Guarda Municipal. A determinação chega via decreto do prefeito Marcelo Crivella e deverá ser implementada em breve. A atualização dos valores de multas, aliás, chama atenção: para pessoas físicas, a penalidade poderá ser de R$ 500 e pessoas jurídicas como bares, restaurantes e boates poderão ter de pagar R$ 5 mil. Foto - Márcio Mercante / Agência O Dia Márcio Mercante / Agência o Dia
29/09/2017 - Policiamento da Operação Verão em orlas do Rio começa no próximo fim de semana. Na imagem, agentes da Guarda Municipal do Rio de Janeiro e policiais Militares em patrulhamento na praia do Arpoador, em Ipanema, zona sul da cidade. Foto de Alexandre Brum / Agência O Dia Alexandre Brum
01/10/2017. Praça São Salvador. Movimentação na Praça São Salvador na Zona Sul do Rio. Foto Sandro Vox / Agência O Dia BARULHO, PERTURBAÇÃO, LARANJEIRAS, RIO Country Sandro Vox / Agência O Dia
Guarda Municipal realizou patrulhamento contra pequenos delitos no primeiro dia da Operação Verão de 2017/2018 DIVULGAÇÃO GM
Lei proíbe cães nas praias mas ainda não prevê multa. Maria Lúcia, que leva o cachorro à Praia Vermelha, diz que a proibição fere o direito de ir e vir 'estendido aos animais' Sandro Vox / Agência O Dia
Agentes da GM levaram para a delegacia seis suspeitos de furtos nas areias da Praia no primeiro domingo da Operação Verão DIVULGAÇÃO/GM

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro