Trump apoia candidato acusado de assédio sexual

Presidente americano elogiou Roy Moore, postulante republicano ao Senado

Por O Dia

Trump: pesquisas sobre HIV e fetos no dia a dia dos CDCs
Trump: pesquisas sobre HIV e fetos no dia a dia dos CDCs - AFP PHOTO / Nicholas KAMM

Opresidente americano, Donald Trump, reiterou, ontem, seu respaldo ao candidato republicano ao Senado pelo Alabama, Roy Moore, apesar das denúncias de que abusou sexualmente de menores de idade há algumas décadas. Ele ainda completou, com críticas a seu rival democrata, Doug Jones.

"A última coisa que precisamos no Alabama e no Senado dos EUA é de um fantoche do (Chuck) Schumer e da (Nancy) Pelosi", escreveu o presidente em sua conta no Twitter, referindo-se aos líderes da oposição democrata no Senado e também na Câmara dos deputados dos Estados Unidos.

Apesar de não ter citado explicitamente o nome do ex-juiz Moore, Trump indicou que Jones é "fraco" em suas políticas contra o crime, nas fronteiras, nos assuntos militares e também de veteranos de guerra.

"E quer elevar os impostos até o céu. Jones seria um desastre", acrescentou o presidente.

Vários membros do Partido Republicano retiraram seu apoio a Moore após serem divulgadas diversas denúncias de mulheres que o acusam de ter abusado sexualmente delas quando eram adolescentes e ele tinha cerca de 30 anos, na década de 1970.

Moore, que negou as acusações, era o favorito para a eleição parcial do Senado, de 12 de dezembro, até o escândalo, e muitos republicanos consideram que, se chegar a se eleger, deveria ser destituído.

RETIRADA DE CANDIDATURA

Mitch McConnell, líder republicano no Senado, pediu para Moore retirar sua candidatura, dizendo: "Eu acredito nas mulheres".

Mas Trump enfatizou, reiteradamente, que Moore "nega totalmente" as acusações. "Também é preciso escutá-lo", afirmou. Neste fim-de-semana, pastores evangélicos pediram a Moore que não seja candidato.

Comentários

Últimas de Mundo & Ciência