Ferj dá ultimato para clubes cariocas romperem com torcidas organizadas

Entidade ainda levantou a possibilidade de punir os times com perda de pontos em casos de brigas de torcedores

Por O Dia

Presidente da Ferj, Rubens Lopes (centro) acompanha sorteio dos grupos: seletiva começa em dezembro
Presidente da Ferj, Rubens Lopes (centro) acompanha sorteio dos grupos: seletiva começa em dezembro - Úrsula Nery/Agência FERJ

Rio - Diante dos recentes episódios de violência o futebol, a Ferj (Federação Carioca de Futebol) promoveu uma reunião com representantes dos grandes clubes do Rio para discutir a segurança nos estádios em 2018 e deu um ultimato: todos devem romper totalmente com as torcidas organizadas.

"Foi um compromisso de todos os grandes, Flamengo, Fluminense, Vasco e Botafogo. Não tem ingresso, não tem ônibus, não pode ter subsídio nenhum. Não vamos tolerar isso", disse Rubens Lopes, presidente da Ferj.

Além disso, a entidade ainda levantou a possibilidade de punir os clubes com perda de pontos em casos de brigas de torcida, mas encontrou resistência por parte dos dirigentes.

Uma medida que pode ser considerada já como um rompimento foi a do Flamengo, após os incidentes da final da Copa Sul-Americana. O Rubro-Negro cancelou o plano de sócio torcedor das organizadas, que privilegiava a venda para as torcidas.

Comentários

Últimas de Esporte