Chuva forte causa morte e prejuízos em Pernambuco

Olinda e no Recife são os municípios mais afetados pelo temporal

Por O Dia

Pernambuco - Uma menina de quatro anos morreu após delizamento de terra em Olinda. A casa dela, no Córrego do Passarinho, foi soterrada na madrugada, e o corpo foi retirado pelo Corpo de Bombeiros às 5h30 desta segunda-feira. O desastre é o primeiro com vítima registrado desde que o alerta de chuvas fortes foi divulgado pela Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), também na madrugada.

Bombeiros procuram quatro pessoas após queda de barreira em OlindaReprodução

Outra ação de socorro está sendo cumprida pelo Corpo de Bombeiros: um desabamento em Águas Compridas, outro bairro de Olinda. A assessoria de comunicação informa que há possibilidade de vítima entre os escombros.

Segundo a Apac, em 12 horas, choveu 200 milímetros no Recife – mais da metade do esperado para todo o mês de maio (358 milímetros). A quantidade de água provocou alagamentos em diversos pontos da região. Uma parte do calçadão na Orla de Olinda desabou, e no Recife o túnel do bairro do Pina – mais baixo que as vias do entorno – ficou intransitável por causa do volume de água.

Em 12 horas choveu 200 milímetros no Recife – mais da metade do esperado para todo o mês de maio%2C que é de 358 milímetrosReprodução / Twitter

Órgãos públicos, escolas e universidades paralisaram atividades porque funcionários e alunos não conseguiam chegar aos locais. Os engarrafamentos paralisam o trânsito nas cidades. A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), a Universidade de Pernambuco (UPE) e a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) cancelaram as aulas no turno da manhã e devem emitir novo alerta caso a chuva continue. O Judiciário também está praticamente paralisado. O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) e os tribunais regionais do Trabalho e o Eleitoral suspenderam o expediente desta segunda na região metropolitana.

Últimas de Brasil