'Um atentado terrorista', diz delegado sobre acidente de ônibus em SP

Acidente com ônibus de estudantes deixou pelo menos 18 mortos na Rodovia Mogi-Bertioga na noite desta quarta-feira

Por O Dia

São Paulo - Um ônibus da Companhia União Litoral, com pelo menos 46 pessoas a bordo, capotou por volta das 23h desta quarta-feira na Rodovia Mogi-Bertioga. Segundo os bombeiros, 16 pessoas morreram no local, entre elas o motorista do ônibus, e 31 ficaram feridas, algumas em estado grave. Outras duas vítimas morreram após serem levadas para o hospital.

LEIA TAMBÉM: Ônibus com estudantes capota e mata várias pessoas em São Paulo

O ônibus levava cerca de 40 estudantes de Mogi das Cruzes para São Sebastião%2C litoral de SPReprodução / TV Globo

O veículo levava estudantes das Universidade de Mogi das Cruzes (UMC) e Brás Cubas (UBC) para a cidade de São Sebastião, no litoral norte de São Paulo. Também estariam no coletivo alunos da Escola Técnica Estadual (Etec) de Mogi.

O delegado Fabio Pierre, da Delegacia de Bertioga, responsável pela investigação das causas do acidente, disse em entrevista que o ônibus ficou totalmente danificado, o que deve inclusive atrapalhar as investigações. Ao capotar, o coletivo bateu em um rochedo.

"Os danos causados no ônibus dão a impressão de que houve um atentado terrorista, parece que uma bomba foi colocada dentro dele e ele implodiu. Não dá para entender como, felizmente, algumas pessoas saíram vivas daquele coletivo", disse Pierre na manhã desta quinta-feira.

Maioria das vítimas seriam universitários que voltavam da aulaReprodução / TV Globo

Pelos menos 20 viaturas e 67 homens do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar, além de oito ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) do litoral, atenderam a ocorrência. Grupos de outras cidades litorâneas também foram deslocados para prestar atendimento às vítimas. Equipes do Departamento de Estradas e Rodagem (DER) estavam no local ainda no início da manhã desta quinta-feira, uma vez que o tráfego teve de ser bloqueado nos dois sentidos.

Os motivos que levaram o motorista do coletivo, um fretado de prefixo 4900, a perder o controle, ainda serão investigados.

O capitão Marcos Palumbo, porta-voz do Corpo de Bombeiros, informou à Rede Tribuna que havia muita neblina no momento, mas ainda não se sabe o que provocou o acidente. Pelo menos quatro ônibus faziam a travessia em comboio, incluindo o que sofreu o acidente.

 

Últimas de Brasil