Esplanada: Polícia localiza homem que 'ajudou' jovem no caso Feliciano

Segundo a investigação, ele recebeu R$ 50 mil das mãos do próprio chefe de gabinete do deputado, Talma Bauer

Por O Dia

Brasília - A Polícia de São Paulo localizou o carioca Arthur Mangabeira, que se passou por agente da Abin para ajudar Patrícia Lélis num acordo malfadado com o deputado Marco Feliciano (PSC-SP), como um 'procurador' da jovem.

Segundo a investigação, ele recebeu R$ 50 mil das mãos do próprio chefe de gabinete de Feliciano, Talma Bauer, pelo silêncio da mulher que acusa o deputado de agressão e tentativa de estupro. Mas Arthur sumiu do mapa com o dinheiro há semanas.

O caso virou um seriado de trapalhadas de todos os envolvidos – a garota, o assessor político, o deputado e este 'agente' que agora aparece. Caberá à Polícia de SP e à PGR agora descobrir a origem do dinheiro e por que tanto pelo silêncio da garota, já que Feliciano se diz inocente.

Eu entrego!

Arthur já conversou com o delegado Luis Hellmeister, do 3º DP de SP, por telefone, e agendou oitiva e prometeu aparecer com o dinheiro.

Pra caixinha

A polícia já apreendeu R$ 20 mil com um ex-amigo de Patrícia, Emerson Biazon, que entregou o esquema. O inquérito de SP foi remetido para a PGR em Brasília.

Na mira 1

Patrícia, que adora aparecer, grava vídeos em 'agradecimento', mas não engana. Está na mira da Polícia e foi indiciada por falsa comunicação de crime e extorsão.

Na mira 2

E Feliciano está na mira da PGR que deve pedir a investigação à PF, pelo STF, para rastrear sinais de celular e descobrir se o deputado se encontrou com a garota.

Bala & Voadeira

Partiu do Ministério do Esporte a investigação sobre tramoias nas confederações de Taekwondo e Tiro no Rio, que resultou em operação da PF há dias. A pasta colaborou com informações enviadas ao Ministério da Transparência e à própria PF. Confira nas redes sociais da Coluna o que fala o ministro Picciani em entrevista à e-webtv.

Todos contra um

Ficou claro no debate entre os candidatos do Rio exibido pela Band: Nos bastidores, em conversas com a Coluna, todos se mostraram contra Pedro Paulo (PMDB), o escolhido pelo prefeito Eduardo Paes. E todos falam em auditar as contas da prefeitura.

Enredados

Pré-candidata ao Planalto, Marina Silva (Rede) desembarca no Rio em alguns dias para gravar programa de TV com o candidato Alessandro Molon. O PV, que já fechou aliança no Rio e em mais dois Estados, mostra-se um potencial parceiro para 2018.

Rio-Brasília

Jandira Feghali (PCdoB) nacionaliza a sua campanha pela prefeitura do Rio. Repete o ‘golpe’ contra Dilma Rousseff e o PT. E usa na roupa um adesivo com ‘Fora Temer!’.

Baixou o cabôco 

Entidades de servidores do Judiciário farão manifestos para cobrar respeito e civilidade do presidente do TSE, Gilmar Mendes, que desandou a criticar leis e a Lava Jato.

Poder caseiro

Por falar no Piauí, a sede da prefeitura de Cristino Castro está abandonada, cheia de lixo e entulhos, por razões inexplicáveis. A nova sede foi transferida para.. uma casa de propriedade da mãe do prefeito Valmir Falcão (PSD).

Ele voltou

Lembram do senador Mão Santa, recordista em discursos homéricos no plenário ? É candidato a prefeito de Parnaíba, segunda maior cidade do Piauí, pelo Solidariedade.

Pista livre

Trama-se no Congresso Nacional, por lobby das poderosas empresas de ônibus – aquelas que ganham dinheiro ‘vivo’ diariamente (nas roletas) – mudança no regime de concessão de linhas interestaduais e a retirada de poderes dos fiscais da ANTT.

Cartel sobre rodas

Muitas empresas municipais e interestaduais operam hoje no Brasil sob concessão de liminares judiciais. Os empresários repetem o mantra de ‘livre regulação’ e usam o exemplo de Canadá e países da Europa. Só que lá o setor é organizado, sem cartéis.

Ponto Final

Camburão na portaria. PF indiciou Lula e dona Marisa. O triplex desabou. O sítio pegou fogo. Em suma, a casa caiu.

Coluna de Leandro Mazzini

Últimas de Brasil