Servidor que atirou em procurador-geral e promotor em Natal se entrega à polícia

Guilherme Wanderley Lopes da Silva, 44 anos, entrou sexta-feira na sala do procurador-geral sede do MPRN, em Natal, e atirou

Por O Dia

Rio - O servidor do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) que baleou o procurador-geral adjunto do estado, Jovino Pereira da Costa Sobrinho, e o promotor de Justiça Wendell Beetoven Ribeiro, entregou-se neste sábado à polícia.

Guilherme Wanderley Lopes da Silva, 44 anos, entrou sexta-feira na sala do procurador-geral sede do MPRN, em Natal, e atirou, atingindo Costa Sobrinho e Ribeiro. Silva fugiu em seguida. De acordo com a assessoria do Ministério Público, o quadro de saúde dos dois feridos é estável. Eles já foram transferidos do Hospital Walfredo Gurgel. O procurador-geral está no Hospital São Lucas e o promotor foi levado para o Hospital do Coração.

O servidor Guilherme Wanderley Lopes se entregou à políciaDivulgação/MPRN

Silva foi exonerado do cargo comissionado de assessor de uma procuradoria, mas, por ser servidor concursado do órgão e efetivo, ainda é preciso que se instaure processo interno para seu afastamento definitivo do ministério.

A motivação para o crime ainda é desconhecida. A Polícia Civil dará coletiva à imprensa ainda hoje para informar mais detalhes sobre o caso.

Últimas de Brasil