Preço da cesta básica aumenta em 17 capitais em abril

Em Porto Alegre, o conjunto de produtos essenciais custa R$ 359, o maior valor do país

Por O Dia

A alta nos preços dos produtos alimentícios essenciais, em abril, continuou a predominar em 17 das 18 capitais do Brasil, de acordo com a pesquisa mensal feita pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e divulgada nesta quinta-feira.

Em Porto Alegre foi apurado o maior valor para a cesta básica, de R$ 359,37. Na sequência aparecem São Paulo (R$ 357,85), Florianópolis (R$ 351,66) e Vitória (R$ 351,27).

Já os menores valores médios foram observados em Aracaju (R$ 238,04), João Pessoa (R$ 270,15) e Salvador (R$ 274,38). A única retração foi registrada em Goiânia, que apresentou queda de 5,41% no conjunto de produtos básicos.

No acumulado dos primeiros quatro meses de 2014, as 18 capitais apresentaram alta no valor da cesta básica. As maiores elevações foram apuradas em Brasília, (14,43%), Curitiba (11,42%) e Florianópolis (10,12%). Os menores aumentos foram verificados em Manaus (0,63%), Natal (3,37%) e Salvador (3,49%).

O Dieese faz todo mês o cálculo que estabelece o valor do salário mínimosuficiente para suprir as despesas de um trabalhador e sua família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência.

Em abril, o menor salário necessário deveria ser de R$ 3.019,07, ou seja, 4,17 vezes o mínimo em vigor, de R$ 724,00. Em março, o mínimo necessário era menor, equivalendo a R$ 2.992,19, ou 4,13 vezes o piso vigente.

Últimas de _legado_Notícia