Nando Cunha se diverte com traição em 'Geração Brasil'

Depois do sucesso como o Pescoço de 'Salve Jorge', ator vibra com o novo êxito na novela das 19h e se prepara para lançar dois filmes: 'Tim Maia' e 'Trinta'

Por O Dia

Rio - ‘Todo mundo é, foi ou será corno um dia. Não tem jeito”. Com o bom humor que lhe é peculiar, Nando Cunha faz graça com o atual momento do seu personagem em ‘Geração Brasil’, que acaba de descobrir que foi traído após 25 anos de casamento. Na novela das 19h, Dante virou fera ao flagrar a mulher, Rita (Gisele Fróes), em clima de romance com o seu empresário, Fred (Luiz Carlos Vasconcellos). “Ele é boi bravo (risos). Na verdade, eu achei essa história do Dante ser traído maravilhosa, já que o Pescoço, de ‘Salve Jorge’, era um cara safado. É mais do que merecido eu levar uma galhada agora”, brinca.

Ator chega à reta final da novela das 19h com a sensação de dever cumprido e quer férias curtas na TVFernando Souza / Agência O Dia

Mas o tom de brincadeira dá lugar a um discurso sério quando o ator é questionado se deseja que Dante perdoe Rita e tenha um final feliz com a mulher no próximo dia 31, data do último capítulo de ‘Geração Brasil’. “Por mim, ele não voltaria para ela. Mas é novela, né? Eu já perdoei traição uma vez, mas de burro que eu era. Acreditei na mudança do ser humano, mas ela fez de novo, aí desencantei. É por isso que eu acho que o Dante não deveria perdoar a Rita”, analisa.

Independentemente do desfecho do personagem, Nando, de 48 anos, faz uma balanço positivo do trabalho em ‘Geração Brasil’. “A Izabel (de Oliveira) e o Filipe (Miguez), autores da novela, me pediram que eu não fizesse nada parecido com o Pescoço, mas tudo lembrava muito. Como compositor trabalha em casa, então, em algumas cenas, o Dante aparecia deitado no sofá, exatamente como o Pescoço fazia”, compara. “Mas eu tinha a meta de desconstruir totalmente o personagem anterior e fazer um cara mais sério, mais responsável, engajado com a causa dos direitos autorais. Quando eu encontro alguém na rua que me diz que gostava mais do Pescoço, isso para mim é um elogio”, comenta.

E a despedida da novela das 19h não é sinônimo de férias. Antes mesmo de chegar a hora de dar tchau a Dante, Nando poderá ser visto nos cinemas no filme ‘Tim Maia’, que estreia dia 30 de outubro. “Eu faço o Manoel, líder da seita Universo em Desencanto, que marcou a fase paz e amor do Tim. Aliás, eu acho que essa foi a melhor fase musical do Tim. Ele estava puro, com a cabeça livre para compor, foi uma fase muito rica artisticamente”, acredita. As filmagens do longa levaram o ator a buscar as memórias afetivas que tinha do cantor. “Eu me lembro de ter visto o Tim Maia passar pela praça Saens Peña (Tijuca) em um Fiat 147. Era menino, mas não esqueci esse momento. E também lembro de um show dele na antiga quadra da escola de samba Estácio de Sá. No dia, eu chamei uma garota para ir comigo, ela me deu um bolo, mas o Tim não (risos). Ele foi e fez um showzaço”, recorda.

O traído Dante de ‘Geração Brasil’ (E) e o infiel Pescoço de ‘Salve Jorge’Divulgação

Nando ainda está no elenco de ‘Trinta’, que será lançado no dia 13 de novembro. “Nesse filme, eu fiz o compositor de um samba do Salgueiro, escola que revelou o grande carnavalesco que Joãosinho Trinta era. Eu queria muito entrar no mundo do cinema e consegui. Graças a Deus, estão vendo que eu sou um ator apto a fazer cinema, teatro e TV, assim como todo tipo de personagem”, diz.

A presença de Nando nos palcos também já é certa. Assim que ‘Geração Brasil’ chegar ao fim, o ator e Antônio Pitanga começam os ensaios de ‘O Inventário’, peça que aborda a delicada relação entre pai e filho. “Quero viajar pelo Brasil com o espetáculo e, em 2015, estrear no Rio”, conta. E será que já tem algum trabalho em vista na TV? “A vela está acesa!”

Últimas de Diversão