Humberto Martins se derrete ao falar dos talentos de cada filho

Aos 56 anos, ator que está no ar como Eurico em 'A Força do Querer, já é vovô: 'É maravilhoso'

Por O Dia

Rio -O dia de hoje será de confraternização no lar da família Martins. “O que mais gosto de fazer quando estou com meus filhos é fazer o que eles querem. O que mais gosto é estar com eles”, derrete-se Humberto Martins, 56 anos, pai de Thamires, 28, Humberto, 20 - ambos do casamento com Ana Lúcia Mansur -, e a caçula Nicolle, de 10 - da relação com Andréa Abrahão.

Humberto MartinsDivulgação

FILHOS REUNIDOS

Apesar de a primogênita morar em Orlando, nos Estados Unidos, ela se fará presente através da internet. “Nós nos comunicamos todo dia. Hoje, acordei por exemplo com a Sophia em uma chamada de vídeo para falar comigo (risos) e isso é muito gostoso”, comemora ele, sobre a netinha de quatro meses, filha de Thamires.

Avô de primeira viagem, Humberto diz que a sensação de ter uma neta é como se fosse pai por duas vezes. “É maravilhoso, é lindo demais. A prole vai ficando para a posteridade, para um futuro maior e também para esse mundo que a gente espera melhorar bastante. Vou mimar muito a netinha. Já mimo. Mimo todos eles. Sempre mimei esses meninos todos (risos), sempre! Faz bem! É bom!”, vibra. 

PAI INCENTIVADOR

No ar como o enérgico Enrico de ‘A Força do Querer’, na Globo, o ator resume com facilidade que tipo de pai ele é. “Sou babão e durão. Sou um pai incentivador, de tudo que eu acho que eles se interessem ou queiram e que é saudável. Isso é uma característica muito minha como pai”, detalha.

Quando o assunto é família, Humberto diz que é do tipo brincalhão, imita bichos, conta piadas e, claro, quando a situação pede, ele dá broncas.

“Só não bato. Não acho legal. Embora eu tenha apanhado, não tenho mágoa disso nem nada. Imagina, minha mãe tinha toda a razão. Era dentro da cultura da época. Acho que uma boa conversa resolve tudo”, afirma. “Sou muito amoroso e digo ‘eu te amo’ para os meus filhos o tempo todo”, enfatiza.

Paizão, Humberto lembra que a paternidade mudou muito sua forma dever a vida, dando mais fi rmeza e mais profundidade. “Vai te melhorando como pessoa, te faz entender as coisas, criar responsabilidades e ter mais responsabilidades consigo mesmo e com todos os outros no entorno”, define. 

HERANÇA GENÉTICA

Segundo ele, a prole tem muito do seu jeito. “O Humberto tem talentos na área de atuação, vídeo, edição, de câmera, musical também. A Nicolle também tem esse dom. A Thamires também tinha, até imita personagem. Ela imita o personagem da Samantha Schmütz, o Juninho Play, é muito engraçado, a gente dá muita risada. Acho que eles têm na genética”, entrega, orgulhoso.

Quando o assunto é aparência física ou de personalidade, o ator conta que os fi lhos têm traços misturados. “A Thamires a parte dos olhos, o Humberto a parte do olhar, e eu me vejo muito quando era garoto, ele tem muita certeza do que ele quer. A Nicolle é mais uma coisa comunicativa”, observa.

BRINCADEIRA DE BONECA

Por falar na caçula, o intérprete de Eurico diz que o convívio com ela é bem leve e bastante pautado em brincadeiras e diversão para ambos.

“Porque já mais maduro, mais tranquilo, não dou tanta importância a certas coisas, que antes chamaria a atenção de uma criança”, pondera. E acrescenta: “Já brinquei de boneca com a Thamires e com a Nicolle. Ela com os brinquedinhos dela e eu fazia a bonequinha falar pra ela, botava a bonequinha do lado dela para abraçar, até hoje ainda faço (risos)”.

TRAMA DAS NOVE

Com o sucesso da novela ‘A Força do Querer’, Humberto confessa que a repercussão tem sido a melhor possível.

“As pessoas falam, comentam, brincam e dizem: ‘Olha, a tua mulher está jogando!’, perguntam quando o Eurico vai descobrir o vício dela e falam do personagem do Silvero Pereira (o motorista Nonato). Para eles, o Eurico é o mais enganado da novela (risos)”, diverte-se.

Humberto antecipa os próximos rumos do seu personagem. “Eurico vai largar a Silvana depois que ela for presa. Mas acho que ele poderia perdoar ela, sim. Por que não? Melhorando, vamos tentar algum tipo de psicólogo, aceitando ir, resolvendo as coisas. Acho que se deve para manter esse laço familiar”, torce.

CARREIRA

Com mais de 30 anos de carreira, Martins faz um balanço positivo de sua trajetória. “Não mudaria, não. Tudo foi feito por um propósito. Já pensei em coisas que pudesse ter mudado, se não tivesse feito isso ou aquilo, mas tudo bem, já foi. Deixaria como foi. Foi tudo desenhado por Deus e está tudo certo, só tenho agradecimentos e gratidão por tudo”, destaca ele, que tem um projeto de peça para o ano que vem. “Fui convidado pelo Alcides Nogueira, e o espetáculo se chama ‘Lua de Cetim’.

Estamos planejando a estreia para o segundo semestre do ano que vem em São Paulo e depois no Rio de Janeiro”, revela animado.


Últimas de Diversão