Juliano Cazarré intensificou malhação para viver mulherengo MC Merlô

Ator integra elenco da próxima trama das 21h, 'A Regra do Jogo'

Por O Dia

Rio - É difícil saber o que olhar primeiro em MC Merlô, personagem de Juliano Cazarré em ‘A Regra do Jogo’, nova trama das 21h que estreia dia 31 na Globo. É que o corpo escultural, as tatuagens, os cordões de ouro e seu rebolado charmoso ganham mais destaques com as batidas do funk. “Meu corpo já era assim antes, estou com o mesmo peso, mas intensifiquei a musculação. O que muda mais é o figurino e a tatuagem falsa, que é um diamante com asas”, conta Juliano, tímido ao ouvir os elogios sobre sua boa forma. A timidez que lhe é peculiar vai ter que desaparecer na marra, afinal, ele tem excesso de exposição na pele do funkeiro. Uma das que vão explorar o lado sensual do ator é a diretora Amora Mautner, que o apresentou de forma bem direta durante a coletiva de imprensa. “Esse aí é uma explosão de sensualidade. À revelia dele, claro”, disse a diretora.

Juliano Cazarré entre suas dançarinas na novela%2C Alisson (Letícia Lima) e Ninfa (Roberta Rodrigues)Divulgação

Mas Juliano logo fez questão de explicar que não está descontente com seu perfil na trama. “Não é que não goste, é que na vida real sou uma pessoa quieta, um cara mais tranquilo. Mas estou feliz com a escolha do personagem. Me divirto muito com ele”, explica.

A questão é que Juliano sabe dividir bem sua vida da ficção. Sério e concentrado, a capa só cai quando ele entra em cena rebolando o popozão ao lado de suas dançarinas Ninfa (Roberta Rodrigues) e Alisson (Letícia Lima). E, olha, ele manda bem no assunto. Algum treino a mais e ele poderia integrar o grupo É o Tchan.

“Foi fácil rebolar. Fiz algumas aulas, sigo a coreografia, mas já sabia alguma coisa antes”, explica. O ator também vai poder mostrar sua faceta como cantor, que ele faz questão de ressaltar que não é tão boa. “Não tem nota pra alcançar, não. É funk. Tipo: ‘Vai, canta aí e pronto’. Eu acho que, no caso do funk, é mais importante o ritmo do que a melodia. Só por isso eu aceitei cantar. Não canto nada, mas a rusticidade do funk permite que um ser desafinado como eu cante”, diverte-se.

O funkeiro de Juliano pode até ter um pouco de Catra, Nego do Borel e até de MC Guimê, mas ele não quer cópias e nem inspirações: “Ele tem um pouco da galera da ostentação, mas tem um pouco do Catra porque é mulherengo, faz música sensual, tem um som do Nego do Borel, mas não quis imitar ninguém, nem quero funk ostentação. Estou tentando trabalhar com mais liberdade”.

Se Juliano não era amante do ritmo, é bem capaz que ele passe a gostar. Afinal, serão muitos meses ao som do pancadão, mas sem letras no estilo ‘proibidão’. “Escuto pouco funk, mas gosto do ritmo. Não é uma música que toca na minha casa, no meu carro, mas eu gosto de dançar na noite. É aquela velha história: ‘É som de preto, de favelado, mas quando toca ninguém fica parado’”, avalia o ator, que não se arriscou a compor nenhuma das letras que vão aparecer na novela: “Tem uma equipe na direção musical que faz isso.”

Juliano em cena de ‘Serra Pelada’%2C produção para o cinema e para a TVDivulgação

MC Merlô tem tudo para garantir que o baile do Morrão esteja sempre lotado. Principalmente porque a sua mãe Adisabeba (Susana Vieira) é a ‘rainha’ da favela. “Apesar da sensualidade, ele é um cara que brinca na comédia, faz um tipo caricato que o gênero permite. Não sei qual bordão dele vai pegar, mas ele tem um jeito diferente de falar, cheio de gírias”, acrescenta.

Resta saber quem vai conseguir fisgar o coração do funkeiro. Porque enquanto puder, ficará na pista pra negócio: “Ele é mulherengo, vai se envolver com as duas dançarinas. Enquanto conseguir manter esse joguinho, está tudo certo”.

Últimas de Celebridades