Juiz da fina da Libertadores apitou título corintiano e causou revolta no Flu

Times do Brasil têm aproveitamento de 46% quando Wilmar Roldán apita seus jogos

Por O Dia

São Paulo - A Conmebol designou o árbitro colombiano Wilmar Roldán para apitar o segundo jogo da final da Libertadores entre Atlético-MG e Olimpia, dia 24, no Mineirão. O argentino Nestor Pitana comanda o jogo de ida no dia 17, em Assunção.

Roldán, responsável pela finalíssima, gerou revolta de São Paulo e Fluminense na Libertadores deste ano. E tem no currículo a final da edição de 2012 vencida pelo Corinthians no Pacaembu. Ao todo, ele apitou 21 partidas envolvendo times brasileiros e o aproveitamento foi de 46%.

Wilmar Roldán será o técnico do jogo de volta da final da LibertadoresReprodução Internet

Em 2013, Roldán expulsou Luís Fabiano após o apito final da partida entre São Paulo e Arsenal de Sarandí no Pacaembu, na fase de grupos. Durante a partida, ele anotou penalidade para o time argentino após lance duvidoso (a bola tocou o braço de Cortez, mas o jogador estava com o braço junto ao corpo). O 1 a 1 em casa complicou a situação do São Paulo no grupo.

O Fluminense também reclamou de Roldán em 2013. No jogo de ida das oitavas de final contra o Emelec, em Guayaquil. o árbitro anotou um pênalti para os donos da casa no final da partida em lance em que Carlinhos, lateral-esquerdo do Flu, não comete falta. O Flu acabou perdendo o jogo por 2 a 1, mas conseguiu se classificar na partida de volta.

Últimas de Esporte