Luiz Adriano iguala marca histórica de Messi, e Shakhtar faz 7 no BATE

Equipe da Ucrânia conseguiu goleada em casa

Por O Dia


Ucrânia - O brasileiro Luiz Adriano fez história nesta terça-feira ao igualar a marca de Lionel Messi como maior goleador em um jogo da era moderna da Liga dos Campeões da Europa a partir da fase de grupos, ao marcar cinco vezes no massacre do Shakhtar Donetsk sobre o BATE Borisov por 7 a 0 fora de casa, em Belarus. Desde 1992, quando a competição passou a ter formato mais próximo do atual, apenas o craque argentino havia balançado as redes tantas vezes, em uma vitória do Barcelona sobre o Bayer Leverkusen por 7 a 1 pelas oitavas de final da temporada 2011-2012.

Luiz Adriano fez cinco gols em confronto na UcrâniaReuters

Outros 12 atletas haviam atingido o feito em fases preliminares do torneio ou em períodos anteriores, como o alemão Gerd Müller, o húngaro Flórián Albert e o brasileiro José Altafini, o Mazola, que fez cinco na goleada do Milan sobre o Union Luxemburgo por 8 a 0 na edição 1962-1963. A noite inspirada do centroavante gaúcho em Belarus também o tornou o maior artilheiro da história do Shakhtar, com 117 gols marcados, superando o ucraniano Andrey Vorobey, que defendeu o clube entre 1995 e 2007.

Além dos cinco gols de Luiz Adriano, ex-centroavante do Internacional, outros dois brasileiros marcaram para o Shakhtar. Alex Teixeira, ex-Vasco, que abriu o placar, e Douglas Costa, ex-Grêmio. Além do trio, mais cinco jogadores do país entraram em campo: o volante Fernando e o meia-atacante Taison, que começaram entre os titulares, além do volante Fred, do meia Marlos e do meia-atacante Bernard, que entraram em campo no intervalo. O lateral-esquerdo Márcio Azevedo viu a goleada do banco de reservas.

Com o resultado, o campeão ucraniano assumiu a segunda colocação do grupo H da Liga dos Campeões, com cinco pontos, dois atrás do Porto, que hoje venceu no sufoco o Athletic Bilbao em casa, por 2 a 1, mantendo a liderança. O mexicano Héctor Herrera e o português Ricardo Quaresma marcaram os gols do time português, e o Guillermo Fernández descontou para a equipe basca, que segue na lanterna com apenas um ponto. Na próxima rodada, no dia 5 de novembro, os jogos desta terça-feira serão repetidos, mas com mando de campo invertido. Assim, Shakhtar e BATE voltarão a se encontrar, só que na Ucrânia. Athletic e Porto duelarão na Espanha.

A chuva de gols do Shakhtar ocorreu apenas um dia após o moderno estádio do clube - o qual não recebe jogos há meses devido ao conflito na Ucrânia - ter sido mais uma vez atingido por bombardeios. No jogo de hoje em Belarus, o quinteto brasileiro do time visitante - número máximo de jogadores do país que o técnico Mircea Lucescu admite escalar -, mal deu chances ao time anfitrião de respirar. Aos 11 minutos, Taison serviu Alex Teixeira, que arrancou, driblou o goleiro Chernik e bateu para o fundo das redes, abrindo o placar. Pouco depois, o goleiro do BATE e o jogador do Shakhtar voltaram a protagonizar lance importante, que resultou em pênalti favorável ao time ucraniano. Aos 28, Luiz Adriano começou seu show, ao converter a cobrança e fazer 2 a 0. Sete minutos depois, os visitantes chegaram ao terceiro, quando Taison saiu em disparada pelo campo ofensivo e só rolou para Douglas Costa, que ficou com gol aberto para balançar as redes dos donos da casa mais uma vez. Aos 36, Luiz Adriano marcou seu segundo no jogo, ao pegar sobra de tentativa de finalização de Shevchuk. O centroavante mostrou muita habilidade ao dar leve toque para superar Chernik. Em noite implacável, o ex-jogador do Internacional marcou mais uma vez aos 40, após cruzamento da esquerda, em que ele se antecipou para dar leve toque e balançar as redes pela terceira vez. Mais quatro minutos e Luiz Adriano voltou marcar, se tornando o primeiro a fazer quatro gols no primeiro tempo, e também o brasileiro com mais gols em um jogo pela competição. Além disso, o centroavante colocou o Shakhtar Donetsk na história, como primeiro time a fazer seis gols em um tempo.

No intervalo, com a vitória garantida, Mircea Lucescu resolveu fazer as todas as alterações que tinha direito, trocando três brasileiros por outros três. Assim, Fernando, Douglas Costa e Taison deram lugar a Fred, Marlos e Bernard. Os primeiros lances de perigo da etapa complementar foram favoráveis do BATE, que tentava diminuir o fracasso dentro de casa. Logo aos 4 minutos, o meia-atacante Karnitski finalizou e Pyatov fez ótima defesa. O goleiro ucraniano, aliás, foi o destaque da etapa complementar, fazendo outras intervenções, em lances de Volodko e do próprio Karnitski. Aos 21, Luiz Adriano foi quem reapareceu, acertando a trave do BATE Borisov. O artilheiro da noite fez de tudo para chegar ao quinto gol na noite. Aos 35 minutos, o centroavante sofreu pênalti de Mladenovic e foi ele mesmo para a cobrança, balançando as redes e fazendo história na competição.

Últimas de Esporte