A hora do Fla, o melhor time carioca

Tudo indica que Vanderlei terá melhores peças este ano

Por O Dia

Rio - O Flamengo entra em campo neste domingo em Manaus com as honras de ser, em tese, o melhor time carioca e com certo favoritismo para ganhar o Estadual. Não se sabe se isso será suficiente para vencer o São Paulo, mas, pelo que se viu contra o Vasco, o time de Muricy também vive uma fase de ajustes.

Flamengo, do técnico Luxemburgo, tem o favoritismo para ganhar o EstadualDivulgação

Tudo indica que Vanderlei terá melhores peças este ano e há dois jogadores que, no momento, concentram as maiores esperanças: Cirino mostra todas as condições de se soltar cada vez mais e ser aquele jogador que chegou a empolgar em Curitiba. Arthur Maia agradou em sua estreia e parece ser um apoiador capaz de juntar bem habilidade e determinação.

Vai ser um clássico animado no Amazonas e pode até fechar bem um triangular que mostrou nível superior ao que se imaginava, ainda mais pelo calor local. Seria bom o Flamengo começar o ano dando logo uma pequena alegria à galera e confirmar a sua condição de carioca que melhor se preparou para 2015.

Sem desespero

Já tem torcedor vascaíno por aí lançando maus augúrios para a temporada, irritado pelas três derrotas com Doriva. Vamos com calma. O time - todos sabem - é limitado, deveria ser reforçado, mas não jogou tão mal assim. O grande problema - aliás, é o do próprio futebol brasileiro - é a falta de qualidade na criação de jogadas ofensivas. Bernardo continua lento demais. Mas contra o São Paulo houve certo nivelamento e os paulistas não foram assim tão superiores.

Esperanças

Além das tímidas contratações - que podem até dar certo - os dirigentes do Botafogo estão apostando em jogadores da base que conquistaram títulos, mas que ainda não tiveram chance. Essa era uma rotina nos anos anteriores, embora recentemente possam ser lembrados Dória, Vitinho e Gabriel que não ganharam vida longa por causa dos desmandos no clube. Sassá e Gegê já tinham até sido descartados como promessas falidas, mas René Simões aposta firmemente neles.

Filme antigo

O futebol do Rio anda tão por baixo que não precisava assistir, mais uma vez, a essa briginha que contrapõe, de um lado, a dupla Fla-Flu, sem estádio próprio, e de outro, Vasco, Botafogo e Ferj. As razões para liberar o preço dos ingressos são válidas e poderia haver mais pragmatismo. Quem tiver o mando de campo que estabeleça seus critérios. Mas quando ainda se discute qual o lado ficará essa ou aquela torcida se percebe que os cartolas continuam os mesmos.

Cobrança

Fred que se prepare. A cobrança em torno do seu futebol, que vem se tornando cada vez mais pesada, vai aumentar. Seu brilho eventual, aquela lentidão, o ar blasé, tudo isso pode reverter contra ele no momento em que o Flu se enfraquece e passa a sobrecarregar uma espécie de craque solitário que chama para si toda a responsabilidade. E é bom lembrar que o Fred atual não é o mesmo de dois ou três anos atrás e que na Copa deu sinais de fragilidade. Tempos difíceis.

Vôlei feminino empolga pelo equilíbrio

A Superliga de Vôlei tem mostrado partidas excelentes, de um nível técnico alto e, apesar da liderança do Rio e das melhores colocações do Sesi e do Osasco, pode reservar surpresas até o final. Bom exemplo disso foi o jogaço de sexta entre Minas e Osasco, quando a equipe mineira surpreendeu e conseguiu grande vitória - a nona em dez partidas, saindo das últimas colocações para o sexto lugar. A chegada de Jaqueline mudou tudo, desde a liderança até a consistência técnica e tática do time. Ela voltou jogando muito e as craques do Osasco, com Thaísa, nada puderam fazer. Um jogão, mais um a valorizar o esporte mais bem praticado no Brasil atualmente.

Últimas de Esporte