Egito suspende campeonato nacional após distúrbios que deixaram 19 mortos

Torcedores do Zamalek e do ENPPI entraram em confronto com a polícia, no último domingo

Por O Dia

Egito - A Federação Egípcia de Futebol decidiu adiar, de forma provisória, a realização do campeonato nacional após a morte ontem à noite no Cairo de 19 pessoas em episódios de violência ocorridos antes de uma partida da primeira divisão.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e jogos: os destaques do futebol internacional

Torcedores de ambas as equipes tentaram invadir o estádio sem ingresso e foram impedidos pela polícia Reuters

Um comunicado da federação divulgado no domingo à noite informou que a decisão foi tomada como ato de luto pelas vítimas. O organismo decidiu também voltar a proibir a presença do público nos jogos de futebol.

Na noite do último domingo, torcedores e as forças de segurança entraram em confronto antes da partida entre as equipes de Zamalek e ENPPI, ambas do Cairo.

O porta-voz do Ministério de Saúde, Hosam Abdelgafar, disse hoje à Agência Efe que os distúrbios deixaram 19 mortos. Ontem, a promotoria egípcia, citada pela agência oficial de notícias "Mena", informou que o número de vítimas fatais era de 22.

Uma fonte do necrotério que está recebendo os corpos afirmou nesta segunda-feira à Efe que por enquanto o número de mortos levados até o local é de 19.

Segundo fontes médicas informaram à Efe, 30 pessoas ficaram feridas nos distúrbios, que se desencadearam quando a polícia impediu o acesso de parte da torcida ao estádio, no leste da capital egípcia.

O Ministério do Interior explicou em um comunicado que torcedores de ambas as equipes tentaram invadir o estádio supostamente sem ingresso. Foram disponibilizados apenas 10 mil lugares para o jogo.

O episódio deste domingo é o mais violento desde os confrontos de 1º de fevereiro de 2012, quanto 74 pessoas morreram e 254 ficaram feridas em distúrbios no estádio Port Said, na cidade de mesmo nome, entre torcedores das equipes El Masry e El Ahly, o mais popular do país.

A violência envolvendo o futebol no Egito fez com que as autoridades proibissem a entrada dos torcedores nos estádios, embora a medida tenha sido suspensa em torneios internacionais.

O Ministério do Interior e a Federação Egípcia de Futebol tinham chegado a um acordo para que a partir de janeiro o público voltasse aos estádios nos jogos do campeonato nacional.

Mesmo após os confrontos, a partida entre o Zamalek e o ENPPI continuou e terminou empatada em 1 a 1.

Últimas de Esporte