Será que chegou a vez do Vasco?

Gigante da Colina quer voltar a levantar o Estadual

Por O Dia

Rio - Essa pergunta é feita tanto pelos rubro-negros como pelos cruzmaltinos. Os primeiros estão, como sempre, confiantes, mesmo admitindo que um dia o Vasco terá de ganhar um jogo decisivo e quebrar a escrita. Mas não precisa ser agora, raciocinam, até porque o Fla está em temporada muito firme, sob o comando de Vanderlei, e com um sistema de jogo compacto e ágil. A tal ponto que reforça a armação defensiva e oferece alternativas para as jogadas com Gabriel, Everton, Márcio Araújo, Arthur Maia, Cirino e Alecsandro. Talvez o que atrapalhe um pouco sejam as variadas possibilidades que quase induzem o treinador a não definir os titulares. O Vasco parece acreditar nesse dia da redenção, embora tenha vivido semana complicada, se enrolando em jogo fácil contra o Rio Branco e lidando com o inesperado problema do choro de Bernardo. Mas conta com a força de sua defesa, sob o comando de Guiñazu e Rodrigo, e a qualidade de Gilberto e Dagoberto. O jogo é imprevisível, mas, em tese, mostra vantagem do Fla pela qualidade do elenco e a opção do empate.

Vasco enfrenta o Flamengo por uma vaga na decisãoMarcelo Sadio/Vasco da Gama/Divulgação

A NOVA ERA

Marco Polo del Nero engatou um discurso de modernidade, prometendo novos tempos e dizendo até lucidamente que o fato de o Brasil ter conquistado cinco Copas do Mundo não significa que seremos sempre os melhores. Ocorre que esse nítido retrocesso tem muito a ver com os problemas graves de administração da CBF com os métodos da turma de Teixeira-Marin-Del Nero e presidentes de federações. Pode-se esperar algo realmente novo? O discurso cai no vazio.

SEM INJUSTIÇA

David Luiz tem sido tratado com evidente má vontade nos últimos tempos, talvez por seu perfil pouco discreto. Era uma espécie de líder na Copa e saiu queimado na catástrofe. Depois caiu de produção na Europa e até perdeu a vaga na Seleção para a sobriedade de Miranda. Mas, nessa última derrota do PSG, já entrou vendido, fora de forma, com o time avançado e desprotegido. Não precisava levar caneta, mas era difícil resistir ao talento de Suárez. Ainda é um bom zagueiro.

EMOÇÃO PREMATURA

Clássico é sempre clássico e o raciocínio que se faz para essas decisões dos Estaduais é o mesmo da Libertadores. Caso específico de Boca x River — o Boca fez a melhor campanha da primeira fase, com 100% e 18 pontos. O River se classificou aos trancos e barrancos. Mas alguém garante quem vai ganhar esse confronto tão forte e tradicional? É comum que quem está por baixo se agigante como já se viu tantas vezes por aqui. Esse Boca x River será a sensação das oitavas na Libertadores.

O CRAQUE

Na última rodada da Libertadores, o destaque brasileiro foi Nilmar, que ensaia no Inter volta aos bons tempos. A goleada sobre a Universidad de Chile dá muito ânimo ao time, que só precisa vencer o The Strongest na última rodada para se classificar. Aliás, situação igual à do Cruzeiro contra o Sucre, também em casa. Está mais difícil para o São Paulo, que precisa derrubar o Corinthians, e para o Galo, que tem de derrotar o Colo-Colo por pelo menos dois gols de diferença.

ERRO E ACERTO NA CONDENAÇÃO DE FRED

Na suspensão de dois jogos de Fred, há uma desproporção da pena em relação ao delito — somente a opinião sobre o campeonato e os árbitros. Os jogadores, assim como qualquer profissional de futebol ou comentarista, têm o direito de se expressar e só são passíveis de punição em caso de injúria ou calúnia. O acerto veio por conta de não se conceder efeito suspensivo porque isso torna casuística qualquer punição, como no caso daquelas cestas básicas tipo me engana que eu gosto.

Últimas de Esporte