Segundo jornal, prisão domiciliar seria opção para Marin evitar extradição

Justiça americana pediu a extradição do ex-presidente da CBF, preso na Suíça, na última quinta-feira

Por O Dia

Suíça - A história de José Maria Marin no caso de corrupção da Fifa pode ganhar mais um capítulo. Após a justiça americana pedir a extradição do ex-presidente da CBF, a defesa do dirigente pode entrar com pedido de prisão domiciliar, segundo o jornal 'Folha de S. Paulo'. Ele poderia cumprir a punição tanto em sua casa em Nova Iorque, quanto no Brasil.

Outra ação é justamente contra o pedido de extradição feito pelos Estados Unidos. Isso porque o crime de conspiração não é previsto em leis brasileiras. A idade avançada de Marin, 83 anos, também seria um fator positivo para a defesa do dirigente.

José Maria Marín está preso na Suíça desde o dia 27 de maio, após um escândalo de corrupção envolvendo diversos dirigentes da Fifa e outras federações.

José Maria Marin pode ter prisão domiciliarEfe


Últimas de Esporte