Marquinhos mantém pés no chão e diz que mais importante será chegar bem na Copa

Sob o comando de Tite, a seleção venceu todos os sete jogos que disputou nas Eliminatórias

Por O Dia

São Paulo - A classificação da seleção brasileira para a Copa do Mundo de 2018 ainda não foi sacramentada, mas hoje a possibilidade de a equipe ficar fora do torneio na Rússia é tão irreal que o foco virou outro: manter o alto nível de futebol exibido nos últimos compromissos pelas Eliminatórias Sul-Americanas e evitar a acomodação faltando tampo tempo para a competição.

"Enquanto não definir a classificação, vamos manter os pés no chão. Estamos em um bom caminho. Mas o mais importante é ganhar corpo e confiança para o grande objetivo, que é a Copa", afirmou Marquinhos em entrevista coletiva concedida neste domingo no Itaquerão, onde a seleção treinou e vai enfrentar o Paraguai na próxima terça-feira.

Marquinhos concedeu entrevista coletivaPedro Martins / MoWA Press

Sob o comando de Tite, a seleção venceu todos os sete jogos que disputou nas Eliminatórias, desempenho que a deixou folgada na liderança, com 30 pontos, além de ter triunfado em um amistoso. Marquinhos destacou a importância de a equipe ampliar o bom momento, uma reviravolta para quem corria riscos até de ficar fora da Copa do Mundo, mas também de ter a consciência de quem poderá lidar com momentos ruins e de questionamento na caminhada até a Rússia.

"É manter os pés no chão. Temos jogadores experientes para isso, assim como os jovens já viveram muitas coisas para amadurecer. O momento bom é saboroso e gostoso, mas quando se perde, a gente tem que saber lidar, ter amadurecimento para contornar as situações e, em um tropeço, dar a volta por cima", comentou.

O próprio Marquinhos viveu recentemente uma grande decepção após um momento de euforia, no Paris Saint-Germain, que venceu o Barcelona por 4 a 0 no jogo de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões, mas acabou sendo eliminado com uma incrível derrota por 6 a 1 no duelo de volta. O zagueiro garantiu que o duro revés o fez tirar algumas lições que também podem servir para a seleção.

"Procuro ser sempre positivo e tirar algo de bom. É difícil tirar algo dessa derrota, mas tem o lado de manter os pés no chão. Futebol é momento. Tem que saber aproveitar o máximo quando estamos bem. É trabalhar com pés no chão para manter a confiança", afirmou.

Assim, Marquinhos repetiu o discurso de pés no chão que vem sendo repetido especialmente pelo técnico Tite, mas também pelos jogadores, nesse grande momento da seleção. E o assunto, inclusive, é tema de conversas do treinador com o grupo, sempre preocupado em fazer a equipe evoluir.

"Ele gosta que o time tenha os pés no chão, gosta de ressaltar a razão que nos fez vencer. É respeitar o adversário, dar o máximo e saber por que venceu. O que ele busca passar é que a gente precisa merecer vencer", afirmou o zagueiro do PSG e titular da seleção brasileira.

Últimas de Esporte