Fluminense com a bola toda

Eduardo Baptista muda treino físico do Tricolor

Por O Dia

Estados Unidos - A bola tem sido uma agradável companheira dos jogadores do Fluminense desde o primeiro dia de trabalho nos Estados Unidos. Se os puxados treinos físicos são o pesadelo para muitos no início da temporada, o técnico Eduardo Baptista, que começou a carreira como preparador físico, quebrou o paradigma com novas propostas e inclusão da bola nos treinos de força.

Fluminense trabalha para brilhar na temporadaNelson Perez / Fluminense F.C. / Divulgação

“Se você conseguir converter o treino com bola para treino físico, fica tudo muito mais fácil. Há alguns anos venho trabalhando neste sentido de tirar aquele treino físico de corrida e salto, onde há desgaste, mais dor muscular e um risco maior de lesões. A gente começa numa intensidade mais baixa, mas já com bola, um trabalho específico para o jogador se adaptar nos primeiros momentos”, disse Eduardo Baptista ao site oficial do Fluminense.

Com base em Bradenton, o Tricolor terá dez dias para explorar toda a estrutura da IGM Academy. Para conquistar o máximo da concentração de seus comandados em meio à rotina de treinos integrais, o comandante tricolor considera a mudança de filosofia positiva.

“Este é um fator motivante para o jogador, que se sente bem, e tudo que a gente precisa neste momento é que ele se sinta bem”, disse.

Caso Henrique

Acertado com o Fluminense, o zagueiro Henrique deverá desembarcar em Orlando apenas na terça-feira. Contratado ao Napoli por R$ 8,6 milhões, o jogador chega ao Rio no fim de semana para realizar exames médicos e assinar contrato de três anos.

A diretoria mantém o otimismo nas conversas com o Shakhtar Donetsk pela contratação de empréstimo do atacante Wellington Nem.