Cielo faz índice olímpico, mas fica em quinto nas eliminatórias dos 100 metros

Tempo ainda não garante o nadador na Olimpíada do Rio

Por O Dia

Rio - Se o problema era atingir o fraco índice exigido pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), o assunto está resolvido. Cesar Cielo conseguiu a qualificação para os 100m livre nos Jogos Olímpicos do Rio ao nadar a quinta de sete baterias eliminatórias do Troféu Maria Lenk, nesta segunda-feira, com o tempo de 48s97, ficando 0s01 abaixo do exigido. Repetiu seu melhor resultado de 2015, exatamente no Maria Lenk daquele ano.

Mas isso não significa que ele estará nos Jogos Olímpicos do Rio. Cielo fez só o quinto tempo entre os brasileiros (sexto no geral), o suficiente para se classificar para nadar a final A à tarde. A decisão terá também o canadense Santo Condorelli.

O melhor resultado foi de Marcelo Chierighini, com 48s20, equivalente ao nono lugar do ranking mundial desta temporada. Nicolas Nilo Oliveira fez 48s30 e assumiu o 12º lugar do ranking. Os dois já haviam obtido o índice na primeira seletiva, o Torneio Open, em dezembro, mas com 48s72 e 48s41, respectivamente.

Nas eliminatórias, também João de Lucca (48s59) e o Gabriel Santos (48s89) nadaram abaixo do índice. No Open, Matheus Santana (48s71) e Alan Vitória (48s96) fizeram índice. Isso significa que Cesar Cielo tem o sétimo tempo de qualificação e, por enquanto, estaria fora do revezamento 4x100m livre.

O argentino Federico Grabich (bronze no Mundial de Kazan) e Matheus Santana empataram em 49s30 e também vão nadar a final A. A final B, restrita a brasileiros, disputada logo depois, terá Felipe Ribeiro, Bruno Fratus (49s70), Arthur Mendes Filho, Alan Vitória, Ítalo Manzine, Vinicius Waked, Nicholas Santos e Pedro Spajari. Todos nadaram na casa de 49 segundos.

Reportagem de Demétrio Vecchioli

Últimas de _legado_Olimpíada