Ibovespa cai mais de 1% pressionado pelas estatais

Com pesquisa do Ibope, que mostra aumento na taxa de aprovação da presidenta Dilma Rousseff, ação preferencial da Petrobras recua 3,47%

Por parroyo

O Ibovespa opera no vermelho nesta sexta-feira e, por volta das 13h, recuava 1,25%, aos 55.486 pontos, pressionado pelos papéis das estatais. O Ibope divulgou ontem um novo levantamento que mostra estabilidade no quadro eleitoral em relação à última pesquisa. No entanto, a aprovação da presidenta Dilma Rousseff subiu três pontos percentuais, de 44%, para 47%. O mercado avaliou que esse avanço pode refletir em um uma possível alta nas intenções de voto para Dilma nas próximas pesquisas, e a reação é a venda das ações de estatais. 

Petrobras PN caia 3,47% e o papel ON tinha queda de 3,09%. Banco do Brasil ON perdia 3,25% e Eletrobras PNB caía 1,01%. De acordo com o Ibope, Dilma manteve 38% das intenções de voto, Aécio Neves subiu um ponto percentual, para 23% e Eduardo Campos passou de 8% para 9%.

Na agenda, a inflação oficial medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou o mês de julho com variação de 0,01%, menor que a registrada no mês anterior, de 0,40%. No acumulado de 12 meses, o indicador arrefeceu e ficou em 6,5%, no teto da meta.

Entre os indicadores externos, a balança comercial da China apresentou superávit acima do previsto em julho, de US$ 47,3 milhões, com um aumento de 14,5% das exportações. O dado reflete de forma positiva em Vale PN, que subia 0,68%.

Nos Estados Unidos, as bolsas operam em alta, mas as tensões geopolíticas na Ucrânia e no Oriente médio seguem no radar dos investidores. Por volta das 13h, o Dow Jones, que caiu ontem para o menor nível desde abril, subia 0,44%; o S&P tinha alta de 0,48% e o Nasdaq avançava 0,31%.

No mercado de câmbio, o dólar sobe 0,09%, cotado a R$ 2,29 na venda.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia