Por thiago.antunes
Estados Unidos - Não faltaram críticas a Donald Trump na cerimônia de entrega do Globo de Ouro, domingo à noite. A última grande festa do showbiz antes da posse do magnata, dia 20, foi marcada por discursos sutis, mas certeiros.
Embora não tenha sido diretamente citado por Hugh Laurie e Meryl Streep, autores das falas mais ácidas da noite, Trump ‘vestiu a carapuça’ e destilou ódio contra a veterana atriz pelo Twitter.

“Hollywood está lotada de forasteiros e estrangeiros e, se os deportássemos, vocês não teriam nada para ver além de futebol e MMA, que nada têm de arte”, alfinetou Meryl, agraciada com o troféu Cecil B. deMille pelo conjunto da obra, em alusão à xenofobia de Trump.

Para Trump%2C Meryl%2C que o criticou%2C vale menos do que a fama delaEfe

A atriz também fez graça com a campanha do empresário contra Obama, acusado de não ser americano nato. “Amy Adams nasceu em Vicenza; Natalie Portman nasceu em Jerusalém. Onde estão os certificados de nascença delas?”, brincou.

Publicidade
Hugh Laurie também não deixou barato. Melhor ator coadjuvante em série de TV, o britânico brincou falando que se tratava da última edição do Globo de Ouro, já que com “Hollywood”, “estrangeiro” e “imprensa” no nome, o futuro da festa era incerto. Laurie fez alusão ao fato de que Trump brigou com a imprensa na campanha e arranjou problemas quando precisou de apoio entre artistas.
Trump respondeu com polêmica. Primeiro, em entrevista ao ‘New York Times’, disse não ter ficado surpreso com o ataque do que chamou de uma das “pessoas liberais do cinema”. Depois, no Twitter, foi ainda mais raivoso. “Meryl Streep, uma das atrizes mais superestimadas de Hollywood, não me conhece, mas me atacou no Globo de Ouro. Ela é uma secretariazinha puxa-saco de Hillary que se deu mal”, vociferou em sequência de mensagens.
Publicidade
Trump demite locutor oficial
Trump decidiu não contar, na posse, com a voz de Charles Brotman, locutor de 89 anos que trabalha nas cerimônias desde 1957, cobrindo 11 presidentes, desde que Dwight D. Eisenhower foi reeleito. Ele ficou desolado pela decisão do magnata. “Olhei meus e-mails e então levei o choque da minha vida”, declarou. “Eu me senti como se Muhammad Ali tivesse me socado no estômago”, ressaltou o veterano.
Publicidade
Em seu lugar, Trump escolheu Steve Ray, locutor de 58 anos que trabalhou para a equipe de beisebol Washington National e várias emissoras de rádio. A equipe de transição tentou minimizar a polêmica e anunciou que Brotman será honrado como “locutor emérito” dia 20.