EUA impõem sanções a vice-presidente da Venezuela

Tareck El Aissami, que é investigado há anos pelos americanos, é suspeito de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro

Por O Dia

Washington - O governo dos Estados Unidos impôs nesta segunda-feira sanções econômicas contra o vice-presidente da Venezuela, Tareck El Aissami, informou o Departamento do Tesouro em seu site.

Aissami é investigado há anos pelos Estados Unidos por suspeita de participação em tráfico de drogas e lavagem de dinheiro, acusações que ele nega. A ação deve agravar ainda mais a tensa relação entre EUA e Venezuela. A partir de agora, o vice-presidente passa a fazer parte de uma lista de pessoas que tem os bens congelados nos EUA, que não podem entrar no país e com as quais os americanos não podem fazer negócios.

Tareck El Aissami%2C vice-presidente venezuelano Reprodução

Aissami foi constituído vice-presidente no início de janeiro em meio a uma grave crise econômica na Venezuela e é visto como um possível candidato do chavismo para a sucessão de Maduro. Aos 42 anos, ele foi deputado federal, ministro do Interior de Hugo Chávez — de 2008 a 2012 — e teve funções de destaque em comissões parlamentares. Foi eleito governador de Aragua em dezembro de 2012, deixando o cargo para assumir a vice-presidência. A partir daí tem conquistado cada vez mais poder e funções dentro do governo. Sua escolha foi vista como um fortalecimento da ala mais dura do chavismo.

As acusações contra Aissami vêm da época em que ainda era ministro, a partir de investigações das promotorias de Miami e Nova York. Já o diário espanhol “ABC” escreveu, em 2015, que Aissami, de origem sírio-libanesa, se reuniu em 2013 com Ghazi Nasr al-Dine, terrorista do grupo radical Hezbollah.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência