Peritos querem provar que Pablo Neruda foi morto pela ditadura chilena

Oficialmente, escritor morreu em decorrência de complicações do câncer, mas relatório mostrará que ele foi intoxicado propositalmente. Ele faleceu 12 dias após golpe militar no Chile

Por O Dia

Chile - Com a esperança de elucidar as causas da morte de Pablo Neruda, um comitê de peritos entregará, nesta sexta-feira, um relatório sobre a análise de evidências que buscam determinar se o poeta foi vítima da ditadura chilena.

Escritor Pablo Neruda morreu 12 dias após golpe militar no ChileReprodução/Internet

O prêmio Nobel de Literatura morreu em uma clínica da capital chilena em 23 de setembro de 1973, 12 dias depois do golpe de estado de Augusto Pinochet.

Segundo a versão oficial, o escritor e político comunista morreu devido ao agravamento do câncer de próstata que sofria quando tudo estava pronto para facilitar sua saída ao exílio no México. "Os especialistas estão trabalhando arduamente e achamos que vai ser um bom relatório que vai ter coisas inéditas", disse Rodolfo Reyes, advogado e sobrinho de um dos poetas mais populares do mundo.

O simpósio com especialistas do Canadá, Dinamarca, Estados Unidos, Espanha e Chile busca confirmar ou excluir a hipótese de que existiu uma intoxicação voluntária e deliberada para matar o autor mediante a administração de germes ou toxinas bacterianas, explicaram os peritos na segunda-feira na abertura do painel. "Sem dúvida vamos ter mais clareza sobre a sua morte, vai mudar a história em relação à morte de Neruda", afirmou Reyes.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência