Superaquecimento de cabo provocou incêndio no Ministério das Comunicações

Fumaça da explosão deixou mais de 30 pessoas intoxicadas

Por O Dia

Brasília - A Companhia Energética de Brasília (Ceb) informou que o princípio de incêndio no Ministério das Comunicações e dos Transportes, na tarde desta quinta-feira, foi provocado por uma falha em um cabo que interliga a estação transformadora à estação elétrica do prédio. Em entrevista, nesta sexta, o diretor de Operações da Ceb, Manoel Clementino, disse que houve um superaquecimento no cabo que já foi trocado.

Explosão na Esplanada dos Ministérios deixa 30 pessoas intoxicadasAgência Brasil

De acordo com Clementino esses cabos são antigos e a substituição de equipamentos é feita respeitando uma lógica de uma racionalidade econômica. “É feito um diagnóstico e quando os equipamentos indicam algum tipo de desgaste ou falha a gente substitui”. Ele acrescentou que, mesmo antigos, quando os cabos apresentam bom funcionamento “não há porque substituir” porque a CEB aproveita o recurso que seria gasto com a reposição em outras áreas que demandam urgência.

Segundo ele, o órgão investiu mais de R$ 10 milhões em reformas de todas as 17 subestações que se encontram no interior dos ministérios. O diretor destacou que até o incidente da tarde desta quinta-feira, no Ministério das Comunicações, a subestação estava em fase de pintura. Já no Ministério do Esporte, a reforma será finalizada no final deste mês.

"Nossa meta é retirar por definitivo essas subestações do interior dos ministérios. Essa é uma concepção antiga que estamos trabalhando junto com o Ministério do Planejamento para mudá-la. Como essa ação será resolvida a longo prazo, por depender de uma articulação dos governos Federal e do Distrito Federal, resolvemos realizar as reformas imediatamente” explicou o diretor.

O princípio de incêndio começou por volta das 17h. Por causa do incidente, o prédio do Ministério das Comunicações e dos Transportes foi interditado e os servidores estão dispensados até a próxima terça-feira para que a Ceb possa consertar o transformador.

Intoxicação

Trinta pessoas foram intoxicadas pela fumaça causada pela explosão ocorrida. Dezesseis delas foram encaminhadas para o Hospital Regional da Asa Norte (Hran), mas sem gravidade.

Segundo o tenente-coronel Mauro Sérgio de Oliveira Francisco, chefe da Comunicação Social do Corpo de Bombeiros, a atenção maior foi para uma grávida e a um homem hipertenso.

Oliveira destacou que a retirada das pessoas do prédio foi feita com rapidez. “As pessoas saíram rapidamente, e usaram as rotas de fuga, tanto que não tiveram problemas de desmaios e nenhuma situação grave”, declarou.

Veículos de socorro do Corpo de Bombeiros e as ambulâncias participaram da ação. As lonas nas cores vermelha, amarela e verde, usadas para distribuir as vítimas de acordo com a gravidade, foram recolhidas.

Outra explosão ocorreu em fevereiro

Esta é a segunda vez que ocorre uma explosão no prédio. Em fevereiro deste ano, um problema parecido, também na subestação da Ceb, causou danos ao edifício. Segundo o subsecretário de Planejamento, Orçamento e Administração do Ministério das Comunicações, Ulysses Melo, a explosão desta quinta-feira ocorreu em outra subestação. No problema anterior, o prédio ficou alguns dias funcionando com geradores de energia instalados na área externa. A subestação que pegou fogo foi substituída, com um custo de R$ 300 mil.

Últimas de _legado_Brasil