Policial militar é preso suspeito de participar de chacina em São Paulo

Agente foi detido no prédio da Rota, onde ele trabalhava com serviços administrativos

Por O Dia

São Paulo - Um policial militar foi preso nesta segunda-feira suspeito de participar da chacina que matou 18 pessoas em Osasco e Barueri, em São Paulo, no último dia 13, segundo o "Jornal Nacional". Sem ter a identidade revelada, o agente tem 30 anos e prestava serviços administrativos nas Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota). Ele foi detido no prédio da própria corporação.

A prisão administrativa dele foi decretada após a Corregedoria ouvir um sobrevivente da chacina em Osasco. Após ser preso, o soldado prestou depoimento na delegacia e estava afastado das ruas. Segundo o próprio policial, ele já foi indiciado por cinco homicídios e que é ainda suspeito de integrar um grupo de extermínio. No entanto, o militar destacou que a Justiça o inocentou desses casos.

Para investigar a chacina na Grande São Paulo, a polícia está relacionando a sequência de assassinatos a uma vingança por duas mortes: a de um PM em um posto de combustíveis, uma semana anterior ao atentado, e a morte de um guarda-civil de Barueri, dois dias antes da chacina.

A Polícia Militar de São Paulo ouviu ainda outros 54 policiais, sendo que 18 deles estão sendo investigados, como 11 soldados e dois cabos. Entre os suspeitos estão sete agentes de Osasco que, no dia do crime, estavam juntos num bar da capital.

Últimas de _legado_Brasil