Caixa vai devolver saldo das poupanças

Correntistas devem apresentar documentos. Mais de 496 mil clientes podem ir às agências

Por O Dia

Rio - Mais de 496 mil titulares de poupanças da Caixa Econômica Federal vão poder regularizar a situação e reaver o saldo em contas encerradas pelo banco. A instituição financeira adotou procedimentos para informar os correntistas nas agências de todo o país de como fazer para ter os R$ 719 milhões incorporados ao lucro líquido do banco. A medida contábil do banco foi questionada pela Controladoria Geral da União (CGU).

A presidenta Dilma Rousseff determinou à direção da Caixa que o problema fosse solucionado. Assim , os correntistas prejudicados podem requerer o saldo até então existente a qualquer tempo. Basta comparecerem à agência onde são clientes que haverá funcionários para reabrir a conta ou redirecionar os valores para outras aplicações.

Servidor Jorge Mário não vê problema no cancelamento das contas%2C mas qualquer saldo encontrado deve ser devolvido ao correntistaJoão Laet / Agência O Dia

Para regularizar a conta e reaver o dinheiro, o cliente deve se apresentar com documentos pessoais, como identidade e CPF, além de comprovante de residência atualizado. Em caso de pessoa jurídica, CNPJ e os demais dados são necessários.

Segundo a Caixa, foram finalizadas 496.776 contas. Em nota o banco informou que 346 mil poupanças foram regularizadas entre 2005 e 2007. O banco informou que fez contato com os clientes por meio de correspondência e telefone. Aqueles que tiveram as contas encerradas foram os que a Caixa não conseguiu retorno.

O Banco Central e a própria Controladoria Geral da União (CGU) refutam o termo confisco. No entanto, há divergências nas informações do banco quanto à iniciativa de encerrar as contas e anexar o dinheiro ao lucro. A instituição financeira alegou irregularidades nas contas. Mas a presidenta Dilma cobrou que o problema fosse revolvido. O lucro líquido reportado em 2012 foi de R$ 420 milhões.

AUDITORIAS INDEPENDENTES

Como justificativa, a Caixa informou que o registro dos recursos das contas encerradas foi aprovado por auditorias independentes, mas acabou contestado pela Controladoria-Geral da União. O banco acrescentou ainda que o recadastramento ocorreu para combater fraudes, evitar danos à credibilidade da caderneta de poupança e cumprir as regras estabelecidas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Para evitar uma corrida dos clientes à Caixa, a instituição tem feito comunicados em todos os seus canais de atendimento, inclusive internet e mídias sociais, para orientar a população a respeito do episódio.

Para clientes, conta sem saldo deve ser fechada

A estudante Raquel Martins, 22 anos, afirma que se a pessoa não usa a poupança, não faz sentido mantê-la ativa. “Para mim, é melhor cancelar”, disse. A opinião dela é a mesma do funcionário público Jorge Mário de Oliveira, 58, para quem a conta deve realmente ser encerrada, desde que não haja saldo.

Das aplicações de renda fixa, a poupança figurou entre os fundos com melhor retorno no ano passado, com rendimento de 5,85%. A caderneta perdeu apenas para o dólar, com 15,5%. A captação líquida, ou seja, a diferença entre depósitos e saques, foi recorde em 2013, com saldo positivo chegando a R$ 71 bilhões. É o maior resultado de toda a série iniciada em 1995.

Ao DIA, o professor de economia da UFRJ, Luiz Martins de Melo ressaltou que a poupança é a aplicação mais segura, principalmente para quem tem menos de R$50 mil. Isto porque acima desta quantia, outros fundos começam a se mostrar mais interessantes, a exemplo das Letras Imobiliárias ou do Certificado de Depósito Bancário (CDB).

Abaixo da quantia referida, os fundos perdem rentabilidade devido à taxa de administração e aos juros, que corroem o valor do dinheiro. Para Melo, o temor com relação ao futuro também faz da poupança uma das apostas na hora de resguardar o dinheiro. Isto porque rendendo muito ou pouco, o retorno com a caderneta é garantido.

Últimas de _legado_Economia