Demitidos do Comperj ainda não receberam rescisão de contrato

Companhia deu baixa na carteira no dia 27 de março, com a promessa de pagar um montante de R$ 14 milhões aos trabalhadores demitidos

Por O Dia

Rio - Os trabalhadores do Comperj denunciam que ainda não receberam o valor da rescisão de contrato, que seria depositado na última segunda-feira. Eles, que são da empresa Alumini, prometem ir na Vara de Itaboraí - que mediou o acordo - para pressionar a liberação do valor.

Nesta quarta-feira, eles vão para a Caixa Econômica Federal De Itaboraí e de Manilha, conferir mais uma vez se o dinheiro está na conta. Se mais uma vez o dinheiro não estiver na conta, eles dizem que vão pressionar a justiça.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores empregados nas empresas de montagem e manutenção (Sintramon), o dinheiro não foi depositado por conta de um questão burocrática. A vara do trabalho iria fazer o depósito no Banco do Brasil, mas foi decidido que seria na Caixa Econômica Federal.

A companhia deu baixa na carteira no dia 27 de março, com a promessa de pagar um montante de R$ 14 milhões aos trabalhadores demitidos. O acordo foi firmado entre o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) e a empresa Alumini, que entrou com um pedido de recuperação judicial em janeiro.

Últimas de _legado_Economia