Dilma diz que Levy fica onde está

Em entrevista na reunião no G20, presidenta defende a CPMF

Por O Dia

Turquia - A presidenta Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira que o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, continuará no cargo. Em entrevista à imprensa após participar da Cúpula do G20, na Turquia, Dilma disse que, apesar de ter enorme respeito pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, discorda das críticas dele ao ministro. “Ele (Levy) é um grande servidor público, que tem compromisso com a estabilidade do país. Acho nocivas as especulações (sobre a saída do cargo), pois me obrigam a vir a público dizer que ele fica onde está”, ressaltou.

A presidenta defendeu a aprovação da nova Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) pelo Congresso. “Temos sido acusados de termos feito excessiva desoneração fiscal e subsídio de juros, e que isso levou ao desequilíbrio orçamentário. Fizemos grande esforço de reequilíbrio fiscal. Agora vai requerer de nós, além da redução de despesas, a consciência, a responsabilidade para aprovar a CPMF. Vamos ter que discutir com a sociedade brasileira, pois (a volta (da CPMF) é fundamental para sair da crise. Eu acredito que o Brasil vai ter de enfrentar este fato. É fundamental que se aprove”, afirmou.

Apesar da resistência entre parlamentares, a recriação da CPMF é a principal aposta do governo entre as medidas de ajuste fiscal enviadas ao Congresso na tentativa de equilibrar as contas públicas. Mas o projeto ainda não foi admitido no Legislativo até o momento. Segundo a presidenta, a avaliação interna do governo é de que há maioria, em alguns casos ampla e em outros apertada.

Com Agência Brasil e Reuters