Morte de John Lennon completa 35 anos nesta terça-feira

Assassino pediu autógrafo no mesmo dia em que matou o cantor. Ele contou à polícia ter esperado o artista por horas

Por O Dia

Rio - A morte de John Lennon, um dos maiores artistas do século XX, completa 35 anos nesta terça-feira. Em 1980, o cantor retornava ao seu edifício, que fica em frente ao Central Park, em Nova York, quando Mark David Chapman atirou cinco vezes contra o músico por volta das 23h.

John Lennon teve a vida interrompida precocemente, aos 40 anos%2C quando foi assassinado por um fãDivulgação

Quatro dos cinco tiros atingiram Lennon - que chegou sem vida ao hospital e foi declarado morto 15 minutos após ser atingido.

Segundo o relato do assassino, que no mesmo dia que matou cantor pediu um autógrafo para o britânico, ele ficou esperando o artista por algumas horas até efetuar os disparos.

Ele teria matado o músico porque Lennon teria afirmando que o grupo de Liverpool era mais popular que Jesus e por sua visão diferenciada da vida após a morte.

No ano passado, Chapman tentou pela oitava vez conseguir sua liberdade condicional e viu seu pedido ser negado pelas autoridades. Condenado um ano após cometer o crime, o assassino está na prisão de segurança máxima de Wende, em Alden, em Nova York.

A morte de Lennon ocorreu poucas semanas após o cantor voltar a gravar um álbum, o "Double Fantasy", ao lado de sua esposa, a artista Yoko Ono. Para o ano seguinte, estava programada uma grande turnê mundial dos dois.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência