Secretário quer 100% da frota dos ônibus intermunicipais refrigerada

Carlos Roberto Osório vai concluir licitação para os ônibus intermunicipais até o fim do ano

Por O Dia

Rio - O calor vai deixar de ser motivo de incômodo nas viagens intermunicipais de ônibus no Estado do Rio. Quem garante é o secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osório. Ele afirmou que vai concluir a licitação das linhas intermunicipais até o fim do ano e que a refrigeração em 100% da frota será uma das exigências do edital. O prazo para a instalação dos equipamentos de ar-condicionado, no entanto, ainda não foi definido. Outra expectativa é que o contrato conceda “ganhos tarifários” aos usuários.

Segundo Osório, a prioridade do governador Luiz Fernando Pezão é finalizar primeiro a climatização dos ônibus da Região Metropolitana, onde vivem 12 dos 16 milhões de habitantes do estado, mas as demais regiões também serão contempladas. “A gente não tem ainda a data da assinatura dos contratos, mas podemos dizer que a universalização do sistema de ar-condicionado vai ser exigência do edital. Vamos estabelecer metas para isso na licitação. As linhas que deverão alcançar isso no prazo mais curto serão as da Região Metropolitana, que transportam a maioria dos passageiros”, afirmou.

Linhas de ônibus intermunicipais da Região Metropolitana do Rio ainda são operadas por permissionários que não passaram por licitaçãoPaulo Alvadia / Agência O Dia

Osório aponta que o estudo da licitação poderá indicar um “benefício tarifário”. O secretário confirmou que esse benefício pode vir como redução do valor da passagem ou reavaliação dos próximos reajustes. “Vai depender do que os técnicos avaliarem. Uma coisa ou outra pode pode ou não acontecer. A licitação garante uma tarifa mais justa”, diz ele.

De acordo com o Detro (Departamento de Transportes Rodoviários do estado do Rio de Janeiro), 47,9% da frota intermunicipal está climatizada. Dos 9.780 ônibus do sistema, mais de 5 mil ainda não têm ar.

A secretaria também estuda incluir, na licitação, a operação dos BRTs projetados para a Baixada Fluminense, Niterói e São Gonçalo. Segundo Osório, dos corredores em estudo, as prioridades são os da Via Light, Dutra e Rodovia Washington Luiz, na Baixada, e os das rodovias Niterói-Manilha e Amaral Peixoto, no Leste Fluminense. “O ex-governador Sérgio Cabral já tinha solicitado o estudo da licitação à Fundação Getúlio Vargas. Antes disso, nunca se tinha pensado em fazer isso. O importante é que agora a decisão foi tomada e vai ser realizada em 2015.”

Já no município do Rio, a prefeitura incluiu R$ 0,06 a mais no último reajuste tarifário, no início de janeiro, para a compra de ônibus com ar-condicionado. A meta do prefeito Eduardo Paes é ter pelo menos 80% da frota climatizada até 2016.

Transporte irregular abusa das infrações

?É hora do rush da tarde e começa o festival de irregularidades das vans que saem da Central do Brasil para a Baixada. Algumas estão regularizadas, com sinalização. Outras não, e também seguem seu destino sem serem advertidas. Dentro da maioria delas, até quatro passageiros em pé, ultrapassando o limite legal de lotação.

A prática é comum. Os usuários não querem perder tempo na fila dos coletivos, nem no trânsito da Avenida Brasil, itinerário feito pelo ônibus. “Fico impressionado como vai cheia. As pessoas ficam até sem apoio e qualquer freada já pode virar um acidente”, comentou o estudante Anderson Marcos Moura, de 29 anos.

Van supostamente regular sai da Central para a Baixada com passageiros em pé%2C ultrapassando a lotaçãoUanderson Fernandes / Agência O Dia

Rumo a Mesquita, a recepcionista Aline Santos, 23, detalha que o esforço perigoso já virou rotina. “Aceito porque é a forma mais rápida de se chegar em casa, mas fica abafado e ninguém liga o ar condicionado”, reclamou.

Com ponto final mais longe, em Magé, a van em que o autônomo Alfredo Soares, 43, embarcou também não saiu antes de lotar, com três pessoas no espaço entre as portas e os bancos. “Não tem jeito. Motoristas fazem o que querem e o governo não está nem aí”, relatou.

Sobre as queixas, o Detro informou que 553 vans estão habilitadas para fazer o transporte intermunicipal e, desde 2009, todas devem ser equipadas com ar-condicionado e outros aparelhos, como GPS, além de ter sinalização correta, motorista uniformizado, entre outros. O órgão diz que realiza operações diárias, em todo o estado, a fim de combater transporte pirata e irregularidades em geral. A frota regularizada é padronizada, com cores por região e numeração externa. A multa para as vans regulares flagradas com excesso de passageiros é de R$ 1.133,65. O usuário pode denunciar infrações por meio do telefone (21) 3883-4141 ou pelo e-mail ouvidoria@detro.rj.gov.br.

Últimas de _legado_Observatório da Mobilidade