Bala perdida atinge menino em bairro nobre de Niterói

Polícia não sabe de onde partiu tiro que acertou a vítima em Icaraí

Por O Dia

Rio - O estudante Antônio Henrique Cotrim, de 13 anos, foi atingido por um tiro no pescoço quando brincava de skate numa praça de Icaraí, em Niterói. Por volta das 20h, ele estava na Rua Ary Parreiras, próximo à praia, quando foi baleado e caiu desacordado e ensanguentado.

O pai e um amigo, que o acompanhavam, acharam que Antônio havia levado um tombo e se machucado porque ninguém ouviu tiros e nem houve confusão no local. Em seguida, o garoto se levantou e foi levado ao Hospital Icaraí. Lá, a equipe médica que o atendeu percebeu que ele havia levado um tiro.

O menino contou que teve a sensação de ter levado uma pancada na cabeça. “Caí sem conseguir me mexer, mas ouvia as pessoas. Meu amigo dizia ‘levanta, para de brincadeira’. Mas eu não conseguia”, contou Antônio, que saiu da UTI na segunda-feira, mas continua internado, com a bala alojada no pescoço.

A mãe dele, a nutricionista Andrea Cotrim, disse estar apavorada. “Quase morri quando soube que era tiro”.

Ela disse que, ao saber que o filho estava com um objeto metálico no ferimento, achou que era peça do skate. “Ele poderia ter ficado até tetraplégico, mas está sem sequelas. É um milagre”, afirmou ela, que conta que mudou para Niterói há pouco tempo e está decepcionada com a falta de segurança.

Últimas de Rio De Janeiro