Corpos de pai, mãe e filha são enterrados: 'Fomos pegos de surpresa', diz prima

Segundo a polícia, Leonardo Drummond, de 58 anos, assassinou a esposa Suzete, 66, e a filha Bárbara, 28, se matando em seguida

Por O Dia

Rio - Os corpos de Leonardo Drummond Watt da Silva, Suzete Libania de Souza Watt, e Bárbara Libania de Souza Watt foram sepultados no fim da manhã desta quarta-feira, no Cemitério São João Batista, em Botafogo, na Zona Sul. Segundo a polícia, Leonardo, de 58 anos, assassinou a esposa Suzete, 66, e a filha Bárbara, 28, se matando em seguida.

Cerca de 100 pessoas acompanharam o cortejo. Abalados, parentes das vítimas se mostraram surpresos com o crime. "É uma tragédia muito grande que deixou todo mundo abalado. Fomos pegos de surpresa. Leonardo e Suzete eram amorosos e discretos. Ninguém sabia de nenhum tipo de problema entre eles. Estamos muito tristes", disse Maria Cecília Libania, prima de Leonardo.

A outra filha de Leonardo, identificada apenas como Michele, está em estado de choque e não falou com a imprensa.

Corpos são enterrados no cemitério São João BatistaEstefan Radovicz / Agência O Dia

Vítimas foram mortas a facadas

De acordo com o delegado Clemente Braune, da Divisão de Homicídios (DH), a hipótese mais provável é a de duplo homicídio seguido de suicídio. Segundo Braune, Leonardo Drummond, que era designer do jornal ‘O Globo’ desde a década de 1980, teria matado a mulher e a filha, e em seguida se matado. Uma faca foi encontrada junto ao corpo do homem, no chão da sala. As duas outras vítimas estavam em seus quartos, deitadas na cama, com roupas de dormir.

Segundo depoimento de Michele, ela teria encontrado os corpos no apartamento por volta das 9 horas. Ela correu para o local após ler e-mail enviado pelo pai às 5 horas, dando a entender que cometeria os crimes e se mataria.

De acordo com Michele, no texto, o diagramador também teria alegado problemas financeiros e descrito as instruções do que a filha deveria fazer com os bens da família após a morte dele.

Segundo uma colega de trabalho de Leonardo, ele também teria mandado e-mail de despedida à direção da empresa, onde mencionava dívidas. De acordo com ela, o funcionário trabalhou normalmente na semana que antecedeu o crime e, inclusive, se ofereceu para trabalhar na segunda-feira, em troca de e-mails realizada na sexta-feira. Outra mensagem, com o mesmo teor, também foi escrito para a irmã e o cunhado de Leonardo.

Além da filha do designer, uma amiga da família também prestou depoimento ontem na polícia. Segundo o delegado, outras pessoas próximas ao casal deverão ser ouvidas nesta semana. Ele pediu urgência no laudo da perícia do local do crime, que deve ser entregue em até cinco dias, além de ter solicitado as imagens do circuito interno de TV do prédio.

Corpos de pai%2C mãe e filha são retirados do local Ernesto Carriço / Agência O Dia

Briga em restaurante

Segundo a corretora de imóveis Margarida Meirelles, de 51 anos, vizinha do casal, a família morava de aluguel há cerca de seis meses. Ela ouviu de um garçom de um restaurante que, no domingo, o casal teria brigado durante um jantar. “Ele me falou que o casal discutiu, e Leonardo saiu na frente, deixando a mulher para trás”, contou Margarida.

Últimas de Rio De Janeiro