Contratos suspeitos da Câmara serão investigados

Presidente da Casa, Jorge Felippe é intimado a depor como testemunha pela Delegacia Fazendária. Oposição faz apuração paralela

Por O Dia

Rio - A Delegacia Fazendária da Polícia Civil vai instaurar inquérito para apurar suposto crime de fraude em licitações na Câmara Municipal. A delegada Tatiana Ribeiro Queiroz esteve ontem à tarde na sede do Legislativo para pedir a colaboração da instituição nas investigações que envolvem os contratos no valor de mais de R$ 2 milhões assinados pela casa com as empresas SCMM e Space 2000.

As duas empresas têm como sócia Kelly Vieira de Melo Teixeira, moradora da periferia de Duque de Caxias, conforme reportagem exibida no ‘RJ TV’ de segunda-feira. O presidente da Câmara, vereador Jorge Felippe (PMDB), foi intimado a prestar depoimento amanhã na condição de testemunha.

Câmara fechou contratos milionários com empresas suspeitasAndré Luiz Mello / Agência O Dia

Jorge Felippe, que não presidiu a sessão na tarde desta terça-feira e nem quis dar entrevistas, informou, por meio de sua assessoria, que pretende ter acesso aos autos do processo antes de prestar depoimento. A partir de então, diz, poderá colaborar com a investigação. Informou ainda que, provavelmente, não comparecerá à Delegacia Fazendária na data solicitada.

A nota da assessoria de Jorge Felippe diz que ‘a instituição está à disposição de quaisquer investigações e que não medirá esforços para que as apurações possam, efetivamente, obter êxito’. Já a Polícia Civil informou que responsáveis pelas empresas envolvidas e o fiscalizador dos contratos também serão ouvidos.

O presidente da Casa%2C vereador Jorge Felippe%2C terá que prestar esclarecimentosMaíra Coelho / Agência O Dia

Ainda na tarde desta terça-feira, seis vereadores formaram um grupo de trabalho para investigar as denúncias. Como a oposição não consegue chegar ao número de 17 assinaturas para formar CPI, o grupo vai fazer um levantamento extraoficial e encaminhar o documento à Mesa Diretora da Câmara, comunicando a medida e pedindo os contratos com as empresas Space 2000 e SMCC.

Apesar da Lei de Acesso à Informação, os contratos suspeitos não estão disponíveis no site da Câmara.
Formam o grupo os vereadores Teresa Bergher (PSDB), Jimmy Pereira (PRTB), Marcio Garcia (PR), Eliomar Coelho, Renato Cinco e Paulo Pinheiro (estes três do Psol). “Inicialmente, são esses vereadores, mas, se outros quiserem se juntar ao grupo, serão muito bem-vindos”, disse Teresa Bergher ao sair da reunião

Empresa tem vínculos com outros órgãos

Numa rápida busca na internet, pode-se comprovar que a Space 2000 tem contratos assinados para prestação de serviços com outros órgãos públicos, como o Centro Cultural da Justiça Federal, a Delegacia Especial da Receita Federal de Maiores Contribuintes e com o o Ministério da Educação, na unidade Petrópolis do Cefet/RJ. O contrato da SCMM com a Câmara Municipal do Rio de Janeiro terminou em outubro do ano passado. Em seu lugar, quem assumiu a TV Câmara foi a Space 2000, que também teve Kelly Vieira de Mello Teixeira como sócia. O contrato ainda está em vigor e não deve ser renovado.

Reportagem de Márcio Allemand

Últimas de Rio De Janeiro