Casamento homoafetivo coletivo celebra o amor e dá um basta no preconceito

TJ do Rio realizou audiências de reconhecimento da união estável e de conversão em casamento

Por O Dia

Rio - Foi em um retiro espiritual promovido há quatro anos pela Igreja Cristã Contemporânea que começou a história de amor entre o pedagogo Paulo Eduardo, 32, e o advogado Gilmar Oliveira, 34. Neste sábado, além do casal, outros 54 deram o último passo para o tão sonhado casamento. É que eles participaram de audiências de reconhecimento da união estável e de conversão da união estável em casamento homoafetivo na sede da Escola da Magistratura (Emerj), no Centro do Rio.

Paulo Eduardo (ôculos) e Gilmar Oliveira (terno Cinza) se conheceram em um retiro espiritual da Igreja Cristã ContemporâneaSeverino Silva / Agência O Dia

A iniciativa faz parte do projeto "O amor é legal", promovido pelo Departamento de Ações Pró-Sustentabilidade do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ). As audiências foram realizadas por oito juízes e dois promotores, todos voluntários.

Em dezembro de 2013, o TJ do Rio realizou a maior cerimônia coletiva de casamento civil homoafetivo. Na ocasião, 132 casais receberam a certidão de casamento. Neste ano, o número será superado com a realização de 170 casamentos no próximo dia 23 de novembro no Armazém da Utopia, no Cais do Porto.

Paulo Eduardo e Gilmar estão entre os casais que vão dizer o sim e trocar as alianças na cerimônia de novembro. Neste sábado, eles deram entrada no pedido de conversão da união estável em casamento. "Vai ser nossa emancipação, vamos sair da clandestinidade. Já moramos juntos e dividimos as contas, nada mais justo seria viver como qualquer outro casal", argumenta Paulo.

De acordo com a Juíza e e coordenadora do projeto Raquel de Oliveira o objetivo é transformar uma união que já existe em casamento para que os casais homoafetivos possam ter os mesmos direitos que têm os héteros. "Eles vão encontrar amparo na justiça rapidamente caso venha ocorrer alguma fatalidade no futuro. Hoje foi apenas a hora do beijo, a lua de mel será em novembro", brincou.

Últimas de Rio De Janeiro