Por tiago.frederico
Publicado 30/12/2014 13:35 | Atualizado 30/12/2014 14:38

Rio - Um Policial Militar da UPP Nova Brasília, no Complexo do Alemão, não perdeu sua vida por pouco nesta segunda-feira. Baleado no tórax durante confronto com bandidos armados na região da Rua Sem Saída, por volta das 17h30, o militar só não morreu pois os projéteis se alojaram no colete de proteção e no radiotransmissor que ele usava.

Leia: PMs da UPP Fazendinha trocam tiros com suspeito na Penha

Ferido levemente pelos estilhaços, ele foi levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, onde foi medicado e liberado em seguida. Após o incidente, o policiamento foi intensificado e não houve mais registros de confronto na região. No entanto, os bandidos não foram presos.

Soldado morto em Niterói será enterrado nesta terça

Em Niterói, o soldado Douglas Leonardo Alencar Ribeiro, de 30 anos, não teve a mesma sorte. Ele foi morto no bairro do Fonseca, quando ia fazer um depósito no banco. O corpo do militar será enterrado nesta terça-feira, às 16h30, no Cemitério de Maruí, na cidade da Região Metropolitana do Rio.

Informações privilegiadas sobre um depósito de R$ 8 mil podem ter sido fundamentais para quatro bandidos de moto — armados com pistolas — emboscarem, na tarde desta segunda-feira, o soldado Douglas Leonardo Alencar Ribeiro. Segurança de um posto de gasolina, ele chegava com o dinheiro em uma moto numa agência do banco Itaú, quando foi cercado pelos criminosos. Ao reagir, foi atingido por cinco tiros.

O PM Douglas Leonardo Alencar%2C de 30 anos%2C foi morto nesta segunda quando deixava um banco%2C em Niterói. Ele era lotado no 12ºBPM e estava há cinco anos na corporaçãoDivulgação / WhatsApp do DIA (98762-8248)

Houve pânico e correria na agência, que foi fechada. Um Corsa prata estacionado próximo ao local ficou com duas marcas de bala. A quadrilha fugiu levando a pistola da vítima e a moto, abandonada depois que o dinheiro foi recolhido da caçamba, na Alameda São Boaventura. Agentes da Divisão de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí buscam imagens captadas por câmeras de segurança para identificar o bando.

“Foi um latrocínio (roubo seguido de morte), crime patrimonial. Acreditamos que o grupo possa ter recebido informações privilegiadas”, declarou o delegado Tiago Dorigo, responsável pelas investigações. Testemunhas contaram que assim que o militar estacionou a moto, os bandidos anunciaram o assalto. Ele tentou sacar a pistola, mas foi logo ferido. A mãe do policial, que trabalha como manicure perto do local, ainda viu o filho caído. Segundo amigos, ela não queria que ele entrasse para a PM.

Veja mais:

Subtenentes da PM são baleados em Nilópolis e em Mesquita

Indignado, sargento protesta em batalhão de Macaé e acaba na cadeia

A polícia investiga se parte do bando que matou o policial foi responsável pelo assalto a posto de gasolina ao lado do banco, por volta das 5h de ontem. Foram levados R$ 140 e radiotransmissor. O corpo do militar está previsto para ser liberado do Instituto Médico-Legal de Niterói na manhã desta terça. Nesta segunda, parentes que estavam no órgão não quiseram falar sobre o crime. Há cinco anos na PM, o soldado era lotado no 12º BPM (Niterói). “Acreditamos no trabalho da polícia”, afirmou o comandante da unidade, tenente-coronel Gilson Chagas. Segundo o oficial, o soldado PM Ivo Leandro Zanu, de 34, encontrado morto com tiro na cabeça em Maricá, domingo, foi sepultado ontem à tarde em Itaboraí.

Você pode gostar