'É inadmissível', diz Beltrame sobre morte de médico na Lagoa

Em vídeo publicado na conta da Secretaria de Segurança Pública, secretário anunciou reforço na segurança no local

Por O Dia

Rio - O secretário de Segurança Pública do Rio, José Mariano Beltrame, declarou ser "inadmissível" a morte do médico Jaime Gold, morto a facadas na noite desta terça-feira, enquanto pedalava na Lagoa Rodrigo de Freitas, na Zona Sul do Rio. Beltrame anunciou ainda o reforço na segurança no local, com ações conjuntas com a Guarda Municipal, e lembrou que a região é ponto turístico. 

Câmara dos Vereadores aprova CPI das 'Bikes' para investigar desmanche de bicicletas e segurança dos ciclistas

'Uma bicicleta e uma carteira por uma vida', desabafa filha de médico morto

"É mais do que lamentável. É inadmissível o que aconteceu ontem na Lagoa, um lugar querido por todos os cariocas. Um lugar frequentado pela população do Rio e estrangeira. Por todos os turistas que vem ao Rio. Cenas dessa natureza não podem se repetir. É um cartão-postal e não podemos assumir de maneira alguma que essas ações aconteçam, muito embora a gente entenda as dificuldades que as polícias têm de trabalhar", declarou o secretário. 

Beltrame lembrou ainda a mudança no 23º BPM (Leblon) — responsável pelo policiamento da área —: o tenente-coronel Joseli Cândido da Silva passa a ser o comandante a partir desta quarta-feira. "O coronel Cândido assume com a função de reposicionar todo policiamento, com a cavalaria e bicicletas. além disso, se reúne hoje com a Guarda Municipal, no sentido de procurar ações conjuntas. Um lugar como a Lagoa não pode de maneira nenhuma ser alvo desse tipo de atitude porque é um local que todos nós frequentamos", frisou o secretário, que acrescentou: "O atual comando assume com a missão de proteção total da Lagoa".

O médico Jaime Gold foi esfaqueado e teve bicicleta roubada na LagoaDivulgação

O médico do Hospital do Fundão Jaime Gold foi esfaqueado na noite desta terça-feira enquanto pedalava na Lagoa. O ataque ocorreu por volta das 18h30 próximo à Curva do Calombo. Ele foi socorrido por um colega de profissão que se exercitava perto do local. A vítima foi levada ao Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, mas não resistiu.

Segundo o depoimento de um frentista na 14ª DP (Leblon), onde o caso foi registrado, Jaime foi abordado por dois jovens em uma bicicleta, que aparentavam serem menores de idade. 

Inconformada com a morte brutal do pai, a filha da vítima, Clara Amil Gold, desabafou em sua página no Facebook: "Ninguém merece sofrer o que você sofreu, tamanha violência. Mesmo estudando Psicologia não consigo compreender o que leva um ser humano, ainda mais em uma circunstância como esta. Uma bicicleta e uma carteira por uma vida", desabafou em sua conta no Facebook.

“Parece que a ficha não caiu ainda, mas nós vamos sobreviver. Descansa em paz. Te amo", continuou a estudante de Psicologia na postagem.

Agentes da Polícia Civil percorreram o trecho onde ocorreu o crime e realizaram perícia no local na manhã desta quarta-feira. A Divisão de Homicídios (DH) assumiu o caso e já está com as imagens das câmeras de segurança para identificar os assassinos, que, segundo testemunhas, seriam menores de idade. 

A Comissão de Segurança no Ciclismo na Cidade do Rio de Janeiro lamentou a morte do médico, que pedalava na orla no momento do ataque.

"Infelizmente a morte do ciclista foi uma tragédia anunciada, pois esta comissão já alertou e busca incansavelmente junto ao poder público e autoridades ações efetivas de combate aos roubos e furtos de bicicletas em nossa cidade", disse em nota.

Últimas de Rio De Janeiro