Cerco a despejo de lixo ilegal no antigo aterro de Jardim Gramacho

Doze caminhões com oito toneladas de detritos cada, em média, foram interceptados e seus motoristas, autuados

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio -  A ação ilegal de transportadoras de lixo no antigo aterro sanitário de Jardim Gramacho foi alvo de operação realizada nesta quinta-feira pela Secretaria de Meio Ambiente de Caxias e do 15º BPM (Caxias).Doze caminhões com oito toneladas de detritos cada, em média, foram interceptados e seus motoristas, autuados. Os proprietários dos veículos terão de pagar R$ 30 mil por caminhão, já que os condutores não apresentaram Licenciamento para Operação e Manifesto, por escrito, do local de despejo.

“Centraremos investigações, agora, na origem da contratação desses caminhões. Sabemos que existem empresas da construção civil e do ramo alimentício envolvidas”, diz o secretário de Meio Ambiente, Tarce Freitas.

A impressão de “operação enxuga-gelo” é inevitável para quem circula pelas vielas que dão acesso à área do antigo lixão — hoje uma usina de biogás. Por lá, cargueiros despejam, sem qualquer fiscalização, toneladas de lixo que deveriam ir para o Centro de Tratamento de Resíduos de Seropédica. O alto custo do transporte até lá é apresentado como justificativa para a irregularidade. Os despejos costumam sumir pouco depois, levados para lixões clandestinos.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia