'Quero que ele fique preso', diz irmão de homem atropelado por filho de Pitanguy

Corpo de José Fernando Ferreira da Silva será levado neste domingo para Pernambuco, onde será sepultado. Justiça nega pedido de habeas corpus para o empresário

Por O Dia

Rio - O corpo do operário José Fernando Ferreira da Silva, de 44 anos, atropelado pelo empresário Ivo Nascimento de Campos Pitanguy — filho do famoso cirurgião plástico Ivo Pitanguy —, 59 anos, será sepultado em Pernambuco. De acordo com Ernani Ferreira da Silva, irmão da vítima, o corpo de José Fernando será levado para Recife na manhã deste domingo e depois levado para Sertânia, cidade natal da família. O operário morava em São Paulo e estava no Rio há dois anos trabalhando nas obras da Linha 4 do metrô.

Irmão de operário avisa que vai processar filho de PitanguyMaíra Coelho / Agência O Dia

No IML, parentes da vítima não esconderam a revolta com a morte de José Fernando. "Espero que seja feita justiça. Quero que ele (Ivo) fique preso por isso, e por um bom tempo. Nossa família vai entrar com processo e pedir indenização", disse Ernani na manhã deste sábado. Ele ainda reclamou da demora na liberação do corpo. De acordo com o familiar, o sepultamento e traslado do corpo serão pagos pelo consórcio Rio Barra.

Na madrugada deste sábado, a defesa de Ivo Nascimento Pitanguy protocolou um pedido de liberdade provisória ao juiz de plantão judiciário no Tribunal de Justiça do Rio. O pedido, porém, foi negado em 1ª instância.

Empresário acumula mais de 240 pontos na carteira

Ivo Nascimento de Campos Pitanguy recebeu 70 multas nos últimos cinco anos. Desse total, 14 foram por dirigir embriagado. Com esse número, ele deveria ter tido o documento apreendido: com 20 pontos na carteira, o motorista já perde o direito de dirigir.

Pedestre foi atingido na calçada da Rua Marquês de São Vicente%2C na GáveaReprodução / TV Globo

O Detran informou que vai suspender a carteira de habilitação de Ivo. Segundo o órgão, ele atingiu o limite de 20 pontos no prontuário de infrações de trânsito entre 2014 e 2015. Em um período de 12 meses, ele somou 27 pontos até o dia 21 de junho deste ano. Além disso, diante "da gravidade do acidente, será aberto também um processo administrativo para que o condutor seja submetido novamente a novo exame prático para averiguar a sua capacidade de direção de automóveis".

Ivo foi preso em flagrante por homicídio culposo e embriaguez ao volante, no final da manhã desta sexta-feira. Ivo dirigia um carro que subiu a calçada, atingiu um poste e José Fernando. A prisão do filho do cirurgião plástico foi feita no Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, onde ele estava internado em observação.

Polícia busca imagens de câmeras de segurança

De acordo com a Polícia Civil, bombeiros e policiais militares que prestaram atendimento a José Fernando, além de testemunhas, já prestaram depoimento. Os agentes chegaram a dizer que o empresário estava visivelmente alcoolizado. Uma perícia no local do acidente também já foi realizada. Agentes da 14ª DP (Leblon), que investiga o caso, solicitaram imagens de câmeras de segurança que possam ter registrado o fato.

O Corpo de Bombeiros informou que militares do quartel da Gávea e do Grupamento Marítimo (GMar) de Copacabana foram acionados, por volta das 23h, para prestar socorro às vítimas de um acidente na Rua Marquês de São Vicente, próximo da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Os militares levaram Ivo e José Fernando para o Hospital Municipal Miguel Couto, naquele mesmo bairro.

José Fernando deu entrada na unidade em estado gravíssimo. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, ele chegou a ser levado para o centro cirúrgico, porém não resistiu aos ferimentos e morreu. Ivo sofreu traumatismo craniano e uma grande lesão no couro cabeludo. Após passar por cirurgia, seu quadro de saúde era considerado estável. O filho do cirurgião estava internado em observação na enfermaria do hospital.


Últimas de Rio De Janeiro