Saara diz que é impossível identificar seguranças que agrediram três rapazes

Entidade afirma que não controla a contratação de vigias noturnos para a região da Rua da Alfândega

Por O Dia

Rio - A Sociedade dos Amigos das Adjacências da Rua da Alfândega (Saara) informou, na tarde desta quinta-feira, que os homens que agrediram e pintaram com tinta spray três jovens grafiteiros, na noite de sábado, não trabalham para a entidade e podem ter sido contratados por lojistas.

Em nota, a Saara afirma que contrata segurança particular para o período em que as lojas estão abertas, de segunda à sabado, mas ressalta que não há controle sobre a contratação de segurança noturna por pelos lojistas da região.

A entidade diz que é impossível identificar e localizar os agressores e quem os teria contratado.

LEIA MAIS: Após agressão a grafiteiros, internautas organizam protesto para domingo






A sociedade ressaltou que a atua na região há mais de 50 anos e que "que zela pela segurança, mas repudia qualquer ato de violência."

O jovens agredidos prestaram depoimento na manhã desta quinta feira na 4ª DP (Praça da República) e dando detalhes dos agressores.


Últimas de Rio De Janeiro