Sul Fluminense pode ganhar polo de cachaça para estimular turismo

Quinze produtores se mobilizam para ampliar vendas. Produção chega a 700 mil mil litros

Por O Dia

Rio - Proprietários de 15 alambiques artesanais do Sul Fluminense resolveram se unir para aumentar as vendas e atrair turistas do Brasil e do mundo. A ideia é criar um Polo da Cachaça na região, estimulando visitantes a conhecer o processo produtivo, degustar a bebida e levá-la para casa. “O objetivo é chamar a atenção do público fluminense, brasileiro e internacional para a excelência da cachaça produzida na região, além de aumentar as vendas e a divulgação, beneficiando também pousadas, hotéis, agências de turismo e estimulando a compra de cachaça”, explica o presidente da Associação dos Produtores de Cachaça do Vale do Café, Ely Werneck.

O alambique da cachaça Werneck recebe visitantes e já exportaDivulgação

Atualmente, são produzidos cerca de 700 mil litros de cachaça ao ano por produtores legalizados e formais da região. A mão de obra direta ligada à produção de cachaça soma cerca de 400 profissionais. E praticamente todos os alambiques já estão abertos à visitação pré-agendada. Algumas cachaças são premiadas em festivais nacionais e internacionais, como a Magnífica, a Santa Rosa e a Werneck, e já são exportadas.

A ideia do grupo também é criar uma indicação geográfica, incluindo o Vale do Café como produtor do setor. Segundo Ely, devido à altitude mediana em relação ao nível do mar e ao clima, considerado um dos melhores do mundo, a região possui terras férteis, propícias ao plantio da cana, o que resulta na alta qualidade da bebida. Engenheiro, admirador e colecionador de cachaça, Ely resolveu investir no negócio há seis anos. Hoje, produz em seu alambique, em Rio das Flores, onde também recebe visitantes.

A primeira reunião para discutir o projeto aconteceu em Rio das Flores, no mês passado, com a participação de produtores. Nesta segunda, secretários de Turismo dos municípios de Areal, Barra do Piraí, Barra Mansa, Miguel Pereira, Paraíba do Sul, Paty do Alferes, Piraí, Resende, Rio das Flores, Três Rios, Valença e Vassouras se reuniram no Rio, para discutir o projeto com a Secretaria de Estado de Turismo e a TurisRio. O secretário Claudio Magnavita disse que o estado dará suporte a ações de marketing, folheteria e sinalização turística, para alavancar o turismo no Vale do Café. “A inclusão dos alambiques nos roteiros da região será um upgrade”, disse.

Últimas de _legado_O Dia no Estado