Campos tem 30 casos de meningite, mas descarta surto

Secretaria de Saúde da cidade diz que, para caracterizar onda, seria necessário contabilizar 50 casos. Bebê com suspeita da doença permanece internado

Por O Dia

Rio - Apesar dos 30 casos de meningite registrados ao longo do ano em Campos dos Goytacazes, a Secretaria de Saúde da cidade divulgou nota negando risco de surto da doença. A nota foi emitida após a suspeita de um novo caso: um bebê de um ano que ficou três dias internado na UTI do Hospital Ferreira Machado, em estado gravíssimo. Em nota, o órgão informou que a criança ainda está internada, mas já se encontra em quadro estável.

O material da biópsia foi encaminhado para o Laboratório Central de Saúde Pública do Rio de Janeiro Noel Nutels (Lacen) e a previsão de liberação dos resultados dos exames é de 30 dias. Enquanto o diagnóstico do menino não é confirmado, seu tratamento está sendo realizado com antibióticos, a partir da suspeita clínica e laboratorial do caso, após análise do Liquor Céfalo Raquidiano (fluido corporal). Além disso, "são usados adjuvantes ao tratamento antibiótico, junto com suporte clínico", diz a nota.

“Não há surto de meningite em Campos”

A própria Secretaria de Saúde da cidade realizou na última quinta-feira (25) um bloqueio epidemiológico para a família do menino. O diretor de Vigilância em Saúde, o infectologista Charbell Kury, descartou um surto da doença no município.

“Para justificar um surto de meningite em Campos, teríamos que ter mais de 50 casos de meningococemia, ou meningite meningocócica ou por hemófilo, em um espaço de tempo de três meses, o que obviamente está bem distante de acontecer”, explicou.

A direção de Vigilância em Saúde continua acompanhando e investigando o caso, que foi notificado à Secretaria Estadual de Saúde. Dos 30 casos de meningite registrados na cidade , destacam-se quatro da forma meningocócica (mais grave), seis por pneumococos e três meningococemias. “Este é um caso atípico. Temos encontrado casos de doenças com diversas patologias associadas, com reações cruzadas”, disse Charbell Kury.

Dados já foram contabilizados

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, em 2014 foram registrados 186 casos e 46 mortes por meningite meningocócica no estado, entre 1º de janeiro e 12 de setembro.

Apesar do grande número de casos, a Superintendência de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da secretaria reforça que não há evidência de surto ou epidemia de meningite no estado.

No mesmo período em 2013, foram contabilizados 228 casos e 59 óbitos por meningite meningogócica em todo o estado.

Prevenções

Para se prevenir, é importante que as pessoas adotem cuidados individuais, como cobrir a boca e o nariz ao tossir e espirrar, evitar ambientes fechados e pouco ventilados, com grande aglomeração de pessoas e lavar as mãos com regularidade. Além disso, ao apresentar sinais e sintomas da doença, é importante procurar o serviço de saúde imediatamente.

Os sinais e sintomas mais comuns da meningite são febre, dor de cabeça geralmente intensa e vômitos, que podem surgir na forma de jatos. A vacina contra a doença está disponível nos postos de saúde, seguindo o calendário de vacinas do Ministério da Saúde.

Últimas de _legado_O Dia no Estado