Barra Mansa pede fim da concessão ferroviária no trecho até Rio Claro

Linha está desativada desde 2009; poder público quer integrar área às vias urbanas

Por O Dia

Barra Mansa (RJ) - A prefeitura de Barra Mansa, no Sul Fluminense, por meio da secretaria municipal de Planejamento Urbano, enviou esta semana um ofício ao diretor geral da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), Jorge Luiz Macedo Bastos, solicitando o fim da concessão ferroviária à FCA (Ferrovia Centro Atlântica) no trecho que liga o município até Lídice, distrito de Rio Claro. Desde 2009, a linha está desativada e a intenção do poder público é urbanizar a área. O documento foi assinado pelos prefeitos de Barra Mansa, Jonas Marins; Rio Claro, Raul Machado; e de Angra dos Reis, Conceição Rabha.

“Historicamente essa linha foi muito importante, pois servia para o transporte de café; produtos de aço, que eram levados até a CSN (Companhia Siderúrgica Nacional); e mercadorias agrícolas, que vinham do interior do país para o porto de Angra dos Reis para exportação. Mas há aproximadamente seis anos foi desativada, em função do esvaziamento econômico”, contou o secretário municipal de Planejamento Urbano de Barra Mansa.

De acordo com Ronaldo, em muitos trechos na área urbana já não existem os trilhos, que foram arrancados. Na serra de Angra dos Reis também houve um acidente que ocasionou desmoronamento de terra, impedindo a passagem de qualquer composição em um trecho da ferrovia. “Diante dessa situação toda, as três prefeituras decidiram solicitar a extinção dessa concessão. A pedido do prefeito Jonas Marins, a secretaria de Planejamento Urbano fez um estudo desse trecho para anexar ao ofício”, explicou.

No ofício encaminhado à ANTT é solicitada a extinção apenas do trecho entre Barra Mansa e Lídice, distrito de Rio Claro. “O trecho entre Lídice e Angra dos Reis, que compreende 40 quilômetros, seria mantido para fins turísticos, já que existe a intenção, por parte dos dois municípios, de reativar o Trem da Mata Atlântica”, informou Ronaldo.

Segundo o secretário, a proposta do poder público é integrar essa área às vias urbanas. “As áreas urbanas dos municípios clamam pela extinção dessa linha principalmente para melhoria da mobilidade desses bairros que tem a ferrovia como transtorno. Entre os que mais sofrem podemos citar a Estamparia, Boa Sorte, São Luiz e Roselândia”, disse. Ronaldo informou ainda que, caso o pedido seja aceito, as três prefeituras irão solicitar o apoio do governo do Estado para a duplicação da RJ 155 nesse trecho: “Nas áreas urbanas ficará a cargo das prefeituras a realização das obras de melhorias”.

Últimas de _legado_O Dia no Estado