Sebrae/RJ reúne empresários do turismo náutico para encontro nas águas de Angra

A prefeitura está preparando um decreto para normatizar os serviços náuticos, regulamentando rotas

Por O Dia

Angra dos Reis (Rj) - Uma aula de gestão em pleno mar, cercada de beleza por todos os lados. Assim foi o primeiro Laboratório de Turismo Náutico, em Angra dos Reis, nessa quarta-feira (12), promovido pelo Sebrae/RJ. Com representantes de 30 empresas do setor a bordo, técnicos e autoridades falaram da importância da preservação ambiental, da profissionalização e das boas práticas gerenciais para a melhoria da qualidade dos serviços oferecidos aos turistas nas embarcações que cruzam a Baía de Angra.

Coordenador regional do Sebrae/RJ na Costa Verde, José Leôncio de Andrade Neto adiantou a criação de um selo de qualidade para o turismo náutico, com índices e metas claras para a conquista da classificação, em parceria com a TurisAngra. “O selo mostrará ao turista que a embarcação atende aos requisitos de sustentabilidade e bons serviços, ajudando no ordenamento das atividades na nossa baía. Os setores de gastronomia e hotelaria estão se organizando e o pessoal da área náutica precisa participar desse movimento para crescer junto”, disse José Leôncio.

Também a bordo, o presidente da TurisAngra, Klauber Valente, explicou que a prefeitura está preparando um decreto para normatizar os serviços náuticos, regulamentando rotas, quantidades de passageiros, vendas de passeios e destino de resíduos, entre outros pontos, que servirão de referência para o selo de qualidade: “Queremos colaborar para a organização do setor, antes do próximo verão.”

Entre os que falaram sobre a importância da preservação das riquezas naturais estava o analista ambiental Eduardo Godoy, da Estação Ecológica Tamoios, restrita para pesquisa. “É importante preservar uma parte da baía e garantir o uso inteligente de todas as outras”, frisou. O biólogo André Micaldas lembrou que é preciso evitar os erros do passado em relação ao meio ambiente, citando os problemas da Baía de Guanabara. “Se aqui um dos problemas é a superlotação das ilhas, é preciso pensar em ações coordenadas, evitando que todos os saveiros fiquem no mesmo lugar em determinado horário. É importante também valorizar o turismo de experiência, pensando em roteiros diferentes”, acrescentou.

Anfitrião do grupo no saveiro que sediou o laboratório, Cipriano Feitosa, da Angra Ocean, falou da importância da criação de Associação de Turismo de Angra dos Reis, reunindo os donos de barcos. “A Atar virá para desatar nós que ainda precisamos enfrentar”, disse, lembrando que a nova entidade é fruto do trabalho de conscientização dos empresários estimulado pelo Sebrae/RJ há mais de um ano.

Há oito anosno ramo, Célia Sales gostou do que ouviu. “É difícil ficarmos juntos e termos a oportunidade de trocar ideias. Foi bom ouvir dicas dos consultores e dos outros donos de barcos. Vi que dou lembranças aos passageiros no desembarque, mas que não tenho o fraldário que o outro colega oferece”, exemplificou Célia, ao lado do marido, Valdir Firmino, sócio na agência Beleza de Angra.

“Foi muito boa essa iniciativa. Angra precisa de incentivo e de iniciativas coordenadas de apoio ao turismo”, disse o gerente da BR Marinas, Ricardo Ermel. “É importante unir os envolvidos no setor”, completou Ricardo Rodrigues, do site NavegueAngra.com.br, que está ajudando a BR Marinas a organizar o “Jet Parade”, no 7 de setembro, para estabelecer um recorde de praticantes de jet ski em Angra dos Reis.

O evento e os próximos passos do turismo náutico estarão entre os temas da próxima reunião dos empresários, no dia 24, às 14h, na nova sede do Sebrae/RJ em Angra. Diante do sucesso do encontro nas águas da baía, o coordenador José Leôncio já pensa na organização de outro laboratório, ainda este ano.

Últimas de _legado_O Dia no Estado