Passagem do metrô sobe para R$ 4,10 em abril

Agetransp autorizou reajuste e usuários precisam ser informados com 30 dias de antecedência

Por O Dia

Rio - Os cariocas que usam o metrô podem preparar o bolso. A partir do dia 2 de abril, as passagens vão subir para R$ 4,10, um aumento de 10,9%. O percentual, aprovado pela Agetransp (agência reguladora dos transportes concedidos pelo estado), na última quinta-feira, corresponde ao índice de inflação calculado pela Fundação Getúlio Vargas (IGP-M) nos últimos 12 meses. A concessionária terá 30 dias para informar à população.

O metrô é o último meio de transporte público do Rio a ter o reajuste anual de 2016 anunciado. Dia 2 de janeiro foi aplicado reajuste de 11,7% na tarifa dos ônibus municipais, passando de R$ 3,40 para R$ 3,80. O valor dos trens e barcas foram reajustados em 12% em fevereiro, passando de R$ 3,30 para R$ 3,70 e de R$ 5 para R$ 5,60, respectivamente. O valor do Bilhete Único passou de R$ 5,90 para R$ 6,50, no mês passado. O reajuste foi fixado em 10,5%, correspondente à variação do IPCA.

Ao serem informados do reajuste, os passageiros demonstraram suas insatisfações. “O serviço deixa a desejar e até falta de ar condicionado em alguns trens”, disse Paulo Eduardo Silva, de 45 anos, assistente administrativo. “Não foi feliz esse aumento. Estamos em momento de crise e logo o transporte que é algo necessário aumentou. Meu bolso vai esvaziar mais”, completou ele.

Para Erick Marinho, de 26 anos, técnico de comunicação, com o RioCard ele diz que não vê o dinheiro indo embora. “Passo o cartão e tudo certo. Mas saber desse aumento, me deixou preocupado”, respondeu. A cozinheira Maria Carla, de 46 anos, também reclamou. “Quanto mais aumenta, mais dinheiro sai do meu bolso."

Já Alessandro Souza, de 27 anos, consultor de vendas, não ficou só insatisfeito com o aumento, mas também com o sistema de troco do metrô. “Tento sempre pegar o dinheiro trocado para não arriscar perder tempo porque estão sem troco”, declarou. “Quando não tem jeito a gente acaba deixando os centavos. Quem ganha são eles”, disse Alessandro. “Agora ou eu recarrego meu Riocard ou cato moeda”, concluiu.

O MetrôRio informou que, para acabar com o problema da falta de troco, a concessionária promove a campanha 'Facilite Seu Troco', colocando adesivos em todas as bilheterias das 36 estações.

Além das campanhas, também há o incentivo ao uso do cartão pré-pago. Em relação ao valor máximo de troco, o MetrôRio explicou que o permitido é de 20 vezes o valor da tarifa vigente. Para não passar pelo problema, Caio Bastos, de 23 anos, estudante, prefere recarregar seu cartão. “A gente, infelizmente, tem que se acostumar com essa falta de troco”, contou.

Últimas de Rio De Janeiro